Tag: seo

Clínicas SOS
Blog, Clients

Inauguração Clínica SOS

Neste domingo, participamos do coquetel de inauguração da Clínica SOS, localizada na Av Ibirapuera 2907, Conjunto 1618, Moema – São Paulo.

Clínica SOS

A iniciativa surgiu com o desejo do Dr. Willian Rezende do Carmo, neurologista conceituado na região, de centralizar em um único local diversos profissionais de excelência, nas principais subespecialidades da Neurologia e áreas afins, para oferecer ao paciente maior comodidade em seu tratamento.

Dr Willian e Dra Keilla

A clínica SOS conta com as linhas de tratamento:

  • SOS Neuropediatria
  • SOS do AVC
  • SOS Cardíaco
  • SOS Epilepsia
  • SOS Parkinson
  • SOS Alzheimer
  • SOS Neuromuscular
  • SOS Esclerose Múltipla
  • SOS Coluna e Lesão Medular
  • SOS da Dor
  • SOS Sono
  • SOS Emoções
  • SOS TDAH
  • SOS Reabilitação

No segmento SOS Exames neurológicos, a clínica também dispõe de diversos recursos diagnósticos, como: Ultrassom transcraniano, doppler transcraniano, Teste de contagem de microbolhas, ultrassom dos músculos, Eletroneuromiografia, potencial somatosenssitivo, Eletroencefalograma, Mapeamento eletromiografico, Estudo Urodinâmico, Avaliação Neuropsicológica, Termografia Mapeamento cortical.

A Equipe Médica da Clínica SOS

Os especialistas que farão parte da equipe da Clínica SOS foram escolhidos cuidadosamente pelo Dr. Willian Rezende, com base na sua bagagem profissional, dedicação e feedback de seus pacientes. O objetivo aqui é de oferecer ao paciente todas as soluções que ele precisa, podendo contar com a indicação do melhor especialista para o seu caso, dentro do mesmo espaço.

Procedimentos Realizados na Clínica SOS

Além do atendimento médico em consultas, a Clínica SOS vai oferecer aos pacientes o atendimento de reabilitação, extremamente necessário para a evolução do seu tratamento. Com profissionais nas áreas de Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia, será possível atuar na recuperação de pacientes com problemas de Dor, Parkinson, AVC, Alzheimer, Lesão medular, Distúrbios do Sono, Epilepsia, TDAH, entre outras patologias.

Profissionais de Nutrição e Psicologia também fazem parte da equipe multidisciplinar, pronta para cuidar do paciente de forma integral, já que a alimentação é um fator importante em inúmeros tratamentos neurológicos, e o acompanhamento psicológico colabora fortemente para a recuperação do paciente.

A Participação da It9 no Marketing da Clínica SOS

Nós da It9 estamos muito entusiasmados com a inauguração da Clínica SOS e também com o lançamento do seu projeto de marketing, no qual estamos inteiramente envolvidos.

Grande parte dos Doutores que farão parte do corpo clínico desta iniciativa confiou a sua estratégia de marketing à equipe da It9. Para atender a todos com excelência, estamos investindo na atualização dos nossos processos, agregando ainda mais valor ao nosso pacote de serviços.

Nosso time está preparado para uma produção de conteúdo rico e relevante para a área médica, visando gerar grande engajamento, destacar este projeto de seus concorrentes e atrair mais pacientes.

A It9 está cada vez mais apaixonada pelo Marketing Médico, pois neste segmento de mercado, o objetivo não é apenas conseguir mais pacientes, e sim ajudar mais pessoas, fornecendo conteúdo relevante e de qualidade, ao mesmo tempo em que trabalhamos a imagem do nosso cliente, tornando-o uma referência em sua especialidade.

Não somente por isto: o marketing bem feito cria uma relação mais estreita entre o médico e seus pacientes, que passam a ter mais confiança no profissional e a responder melhor aos tratamentos e soluções prescritas.

Nossa Mensagem a Todos que Estão Fazendo Parte deste Novo Projeto

Queremos aproveitar esta oportunidade para felicitar o Dr Willian Rezende e toda a equipe formada nesta iniciativa e desejar muito sucesso e grandes realizações nesta nova etapa. Estamos caminhando juntos, sabendo que fazemos parte desta família que nasceu unida e permanecerá unida, colhendo os frutos de um trabalho realizado com muita dedicação.

Clique aqui e veja no site de notícias as fotos do coquetel de inauguração.

Blog, SEO

Queda no Search Console – Confusão de Dados

Pessoas do IT9 Marketing Digital e SEO! Você percebeu uma queda da posição média de seu website nos relatórios Search Analytics do Google Search Console desde 13 de julho? Entenda!

Queda no Search Console – Confusão de Dados

Consultando o Google Search Console, precisamente na opção de tela Search Analytics, a partir do mês de julho é possível observar uma linha vertical com uma legenda “Observação”. No caso de isso ser exibido, tem um significado de algum ajuste do Buscador Google nesta ferramenta – para tentar entender do que isso se trata, necessitamos apenas dar um clique sobre a legenda para então ser aberta a página “Data anomalies in Search Console.” Entenda o procedimento a seguir.

Confusão de Dados no Google Search Console

O antigo (Google Webmaster Tools) hoje Google Search Console – é uma ferramenta extremante vital e fundamental para as pessoas e gestores de sites para o SEO, pois este, nos dá uma referencia de como a Plataforma do Google tem compreendido e interpretado nosso precioso site, além de nos mostrar o raio-x da situação de nosso site na página de pesquisas do motor, entender os termos que podem gerar tráfego e, de estrema vitalidade, ter a informação de alguma penalização do gigante das buscas. Queda no Search Console.

Diariamente (mesmo que muitos pensem diferente), os Engenheiros do Google fazem ajustes no motor de buscas e também no Search Console para ter uma melhora da confiabilidade dos dados, porém, estes ajustes podem nos levar gerar mudanças até mesmo bruscas nos relatórios da ferramenta. Para que os webmasters como eram chamados os administradores de sites antigamente entendam que isso de forma alguma se trata de algum problema em seus websites, existe uma webpage em que o Google relata que alguns “dados estranhos” podem por ventura aparecer, apelidados de “anomalias de dados“. Se isso acontecer, uma observação no relatório ou no alto da tela é exibida para ciência dos profissionais Web.

Anomalia no Search Analytics em 14 de Julho de 2017

Uma dessas observações surgiu em 14 de julho no relatório Search Analytics – ao clicar na Observação, o Google diz em sua página informativa Data anomalies in Search Console:

An incremental improvement in Google’s logging system now provides better accounting for results in lower positions. This change might cause increase in impressions, but also a decrease in average positions. This change only affects Search Console reporting, not your actual performance on Google Search.

Queda no Search Console – Confusão de Dados

Uma nova alteração no sistema que monitora e também registra as informações das plataformas (sites) está agora contabilizando de maneira melhorada as posições mais para baixo dos resultados de maneira orgânicas das pesquisas do Google, desta forma aumentando as impressões e diminuindo o posicionamento médio. Logo, isso significa apenas uma breve alteração da ferramenta, e não representando o desempenho do site na pesquisa Google.

Mesmo o Google informando que isso não significa uma queda nas pesquisas, é muito triste e complexo ter de ver uma certa queda de posições nos relatórios do Google Search Console, não? Principalmente, que, nossos clientes veem esta possível representação e logo interpretam como um mal trabalho de SEO, e temos que justificar o que possivelmente o  que aconteceu. Queda no Search Console.

Concluindo

Estudando e analisando a informação do Google com meus professores em Toronto/Canada e outros colegas alunos em NY e London, nossa conclusão é de que não existe motivo para preocupação, provavelmente deve ter ocorrido com o relatório de todos – vejao Search Engine Land, um os sites internacionais de muita referência em SEO, que isso aconteceu geral. Neste cenário, você deve estar pensando: “se eu cai, alguém subiu na SERP – certo?“. Como o próprio Google disse em sua página de anomalias, a resposta pura e simpes é não.

Dúvidas ou opiniões? Deixe seu comentário!

tags sociais
Blog, Desenvolvimento de Site, Redes Sociais

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

tags sociais

Quem é da velha guarda, lembra como eram importantes as Meta Tags para os mecanismos de busca antigamente. Antes que alguns “webmasters” começassem a encher suas tags Description de palavras-chave que não apareciam no site e os mecanismos de busca simplesmente pararem de olhar para estes valores. Bons tempos.

Mas fora do mundo do SEO e sua luta incessante pelas primeiras posições no Google, o último site de busca que ainda traz tráfego relevante, ainda existe espaço para as Meta Tags. Com a chegada das redes sociais, se tornou novamente importante definir, em uma linguagem compreensível de forma automática, quem é o autor, o sumário, o link e a imagem relacionados a uma determinada página.

As Meta Tags podem fazer a diferença, por exemplo, entre sua postagem no Twitter aparecer assim:

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

Ou assim: tags sociais

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

Qual das duas você acha que tem mais chances de ser clicada pelo usuário?

Esse resultado é possível, graças ao uso diligente das Meta Tags, de uma forma que o Twitter compreenda:

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

Conheça as Meta Tags Sociais do Twitter, Facebook, Google + e Outras

tags sociais. Saber exatamente que Meta Tags sociais devem ser incluídas pode ser complicado. Se você utiliza o plugin para WordPress Yoast’s SEO, então boa parte do trabalho já foi simplificado. Porém, como já vimos por aqui, não é uma boa ideia ficar dependente demais do uso de um plugin. E talvez seu site nem mesmo use WordPress, afinal. Para estes casos, temos que considera cuidadosamente as diferentes estruturas suportadas pelas principais plataformas sociais:

Para minimizar o problema, Cyrus Shepard, do Moz.Com, sugere quatro modelos diferentes de Meta Tags sociais, que você pode utilizar, customizar para seu uso e compartilhar com seus associados. Traduzo as instruções e os comentários nos modelos a seguir.

Perceba que nestes modelos as Meta Tags TITLE e DESCRIPTION são mencionadas, embora seu uso transcenda as redes sociais e você já está calejado de saber que elas são fundamentais para SEO, mesmo nos dias de hoje. Como algumas redes sociais também as interpretam, seu uso é duplamente recomendado.

1) Modelo Mínimo

Este modelo simplificado contém o mínimo necessário para oferecer metadados otimizados para Twitter, Facebook, Google+ e Pinterest.

Substitua o texto em negrito, pelos dados reais da sua página:

<!– Coloque este código antes da tag <head> da sua página –>
<title>Título da página. Máximo de 60-70 caracteres</title>
<meta name=”description” content=”Descrição da página. No máximo 155 caracteres.” /><!– para o Twitter Card–>
<meta name=”twitter:card” value=”summary”><!– para o sistema Open Graph–>
<meta property=”og:title” content=”Título da página” />
<meta property=”og:type” content=”article” />
<meta property=”og:url” content=”http://www.example.com/” />
<meta property=”og:image” content=”http://example.com/image.jpg” />
<meta property=”og:description” content=”Descrição da Página” />

2) Modelo Padrão

Este modelo traz uma implementação um pouco mais robusta das Meta Tags sociais e foi projetado para funcionar em todas as redes. Além das funcionalidades presentes no modelo mínimo acima, o modelo padrão também suporta:

  • Todo o Twitter Summary Card
  • Thumbnail de imagem para Twitter
  • Facebook Page Insights

Substitua o texto em negrito, pelos dados reais da sua página:

<!– Coloque este código antes da tag <head> da sua página –>
<title>Título da página. Máximo de 60-70 caracteres</title>
<meta name=”description” content=”Descrição da página. No máximo 155 caracteres.” /><!– para o Twitter Card–>
<meta name=”twitter:card” value=”summary”>
<meta name=”twitter:site” content=”Conta do Twitter do site (incluindo arroba)“>
<meta name=”twitter:title” content=”Título da página“>
<meta name=”twitter:description” content=”Descrição da página. No máximo 200 caracteres“>
<meta name=”twitter:creator” content=”Conta do Twitter do autor do texto (incluindo arroba)“>
<– imagens para o Twitter Summary Card precisam ter pelo menos 200×200 px –>
<meta name=”twitter:image” content=”http://www.example.com/image.jpg“><!– para o sistema Open Graph–>
<meta property=”og:title” content=”Título da página” />
<meta property=”og:type” content=”article” />
<meta property=”og:url” content=”http://www.example.com/” />
<meta property=”og:image” content=”http://example.com/image.jpg” />
<meta property=”og:description” content=”Descrição da Página” />
<meta property=”og:site_name” content=”Nome do site” />
<meta property=”fb:admins” content=”Facebook numeric ID” />

3) Modelo Completo

Este é o modelo para quem obter o máximo de impacto no uso das Meta Tags sociais, ainda que se arriscando a perder um pouco em performance… Além de todos os dados presentes no modelo padrão acima, o modelo completo ainda traz suporte para:

  • Google Authorship e Publisher Markup. Embora estes dados não alterem a aparência do seu conteúdo no Google+, eles podem adicionar links para suas páginas no Google+ nos resultados da busca.
  • Marcação de artigo para o Schema.org
  • Twitter Summary Card com imagem larga.
  • Dados expandidos de artigo para o Open Graph

Substitua o texto em negrito, pelos dados reais da sua página:

<!– Altere sua tag HTML para incluir os atributos “itemscope” e “itemtype” conforme a linha abaixo. –>
<html itemscope itemtype=”http://schema.org/Article”><!– Coloque este código antes da tag <head> da sua página –>
<title>Título da página. Máximo de 60-70 caracteres</title>
<meta name=”description” content=”Descrição da página. No máximo 155 caracteres.” /><!– Código para Google Authorship e Publisher–>
<link rel=”author” href=”https://plus.google.com/(Google+_Profile)/posts/>
<link rel=”publisher” href=”https://plus.google.com/(Google+_Page_Profile)“/><!– Código do Schema.org também para o Google+ –>
<meta itemprop=”name” content=”Título ou nome“>
<meta itemprop=”description” content=”Descrição da página“>
<meta itemprop=”image” content=”http://www.example.com/image.jpg“><!– para o Twitter Card–>
<meta name=”twitter:card” content=”summary_large_image”>
<meta name=”twitter:site” content=”Conta do Twitter do site (incluindo arroba)“>
<meta name=”twitter:title” content=”Título da página“>
<meta name=”twitter:description” content=”Descrição da página. No máximo 200 caracteres“>
<meta name=”twitter:creator” content=”Conta do Twitter do autor do texto (incluindo arroba)“>
<– imagens largas para o Twitter Summary Card precisam ter pelo menos 280x150px –>
<meta name=”twitter:image” content=”http://www.example.com/image.jpg“>

<!– para o sistema Open Graph–>
<meta property=”og:title” content=”Título da página” />
<meta property=”og:type” content=”article” />
<meta property=”og:url” content=”http://www.example.com/” />
<meta property=”og:image” content=”http://example.com/image.jpg” />
<meta property=”og:description” content=”Descrição da Página” />
<meta property=”og:site_name” content=”Nome do site” />
<meta property=”article:published_time” content=”2013-09-17T05:59:00+01:00” />
<meta property=”article:modified_time” content=”2013-09-16T19:08:47+01:00” />
<meta property=”article:section” content=”Seção do artigo” />
<meta property=”article:tag” content=”Tags do artigo” />
<meta property=”fb:admins” content=”Facebook numeric ID” />

4) Modelo Para Produtos

No e-commerce, marcação de produtos está crescendo vertiginosamente e, se você ainda não está usando na sua loja virtual, deveria começar agora. Na prática, é extremamente fácil de implementar, alterando apenas alguns detalhes no código em relação aos modelos anteriores:

  • Alteração na tag <html> para sinalizar o uso de dados do sistema schema.org para produtos.
  • Um Card específico de produto para o Twitter. Você pode especificar campos novos (data1, data2) e atribuir etiquetas para eles (label1,label2).
  • Os dados do Open Graph incluem preço e moeda usada.

Substitua o texto em negrito, pelos dados reais da sua página:

<!– Altere sua tag HTML para incluir os atributos “itemscope” e “itemtype” conforme a linha abaixo. –>
<html itemscope itemtype=”http://schema.org/Product”><!– Coloque este código antes da tag <head> da sua página –>
<title>Título da página. Máximo de 60-70 caracteres</title>
<meta name=”description” content=”Descrição da página. No máximo 155 caracteres.” /><!– Código do Schema.org também para o Google+ –>
<meta itemprop=”name” content=”Título ou nome“>
<meta itemprop=”description” content=”Descrição do produto“>
<meta itemprop=”image” content=”http://www.example.com/image.jpg“><!– para o Twitter Card–>
<meta name=”twitter:card” content=”product”>
<meta name=”twitter:site” content=”Conta do Twitter do site (incluindo arroba)“>
<meta name=”twitter:title” content=”Título da página“>
<meta name=”twitter:description” content=”Descrição do produto. No máximo 200 caracteres“>
<meta name=”twitter:creator” content=”Conta do Twitter do autor do texto (incluindo arroba)“>
<– imagens para o Twitter Product Card precisam ter pelo menos 200x200px–>
<meta name=”twitter:image” content=”http://www.example.com/image.jpg“>
<meta name=”twitter:data1″ content=”R$29,90“>
<meta name=”twitter:label1″ content=”Preço“>
<meta name=”twitter:data2″ content=”Branca“>
<meta name=”twitter:label2″ content=”Cor“><!– para o sistema Open Graph–>
<meta property=”og:title” content=”Título da página” />
<meta property=”og:type” content=”article” />
<meta property=”og:url” content=”http://www.example.com/” />
<meta property=”og:image” content=”http://example.com/image.jpg” />
<meta property=”og:description” content=”Descrição do produto” />
<meta property=”og:site_name” content=”Nome do site” />
<meta property=”og:price:amount” content=”29,90” />
<meta property=”og:price:currency” content=”R$” />

Ferramentas de Validação

A. Twitter Validation Tool

https://dev.twitter.com/docs/cards/validation/validator
Antes que seus cards apareçam no Twitter, você precisa ter o seu domínio aprovado. Felizmente, é um processo rápido e fácil. Uma vez que você implemente as Meta Tags, entre com o endereço da sua página na ferramenta de validação acima. Após conferir seu código, aperte o botão “Submit for Approval”.

B. Facebook Debugger

https://developers.facebook.com/tools/debug
Você não precisa de autorização prévia para seus metadados apareçam no Facebook, mas a ferramenta de validação que eles disponibilizam irá oferecer uma análise sobre suas Meta Tags, incluindo aquelas específicas para Twitter.

C. Google Structured Data Testing Tool

http://www.google.com/webmasters/tools/richsnippets
Esta ferramenta é ideal para verificar se a marcação de autoria está funcionando para suas páginas e ter uma prévia de como esta informação poderá aparecer nos resultados de busca. Mas você também pode utilizá-la para verificar como o Google está extraindo dados de suas outras Meta Tags em cada página.

D. Pinterest Rich Pins Validator

http://developers.pinterest.com/rich_pins/validator/
Da mesma forma que o Twitter, o Pinterest exige um processo de aprovação para habilitar a funcionalidade Rich Pin. Você pode usar a ferramenta acima para testar a sintaxe de seus metadados e solicitar aprovação ao mesmo tempo.