Compreenda o Impacto Negativo do Conteúdo Superficial em sua Estratégia de Marketing

Autor: Danillo Leite

Publicado em: - Modificado em:

Conteúdo Superficial. O Marketing de Conteúdo tem se tornado cada vez mais relevante no cenário brasileiro, ganhando importância, maturidade e escala. No entanto, os aspectos que ainda não recebem a devida atenção são a profundidade e qualidade dos conteúdos gerados e publicados. Isso resulta em uma grande quantidade de conteúdo com pouco valor para os leitores e potenciais clientes, causando falta de engajamento e perda de credibilidade.

Conteúdo Superficial não é o Topo do Funil

Um equívoco comum é confundir conteúdo superficial com conteúdo do topo do funil. Esse erro persiste porque alguns profissionais de Marketing de Conteúdo acreditam que estão construindo o topo do funil com materiais mais leves, investindo recursos e tempo em conteúdos que não cumprem adequadamente a função do topo do funil.

As camadas do funil de marketing referem-se ao estágio em que o potencial consumidor se encontra na jornada de compra e não à densidade da informação. No início da jornada de compra, o potencial cliente está em busca de informações que aumentem sua compreensão do cenário e o ajudem a reconhecer o problema. Nesse momento, é natural que eles pesquisem sobre sintomas, conceitos, dicas e exemplos. No entanto, conteúdos superficiais não cumprem adequadamente essa função.

Imagine tentar fazer com que um diretor comercial de uma empresa de médio ou grande porte reconheça que seu processo estruturado de vendas é ineficiente devido à falta de informações prévias e que não é escalável devido à falta de arquitetura tecnológica de informações. Para isso, seria necessário:

  • Expor os sintomas de ineficiência para que ele se reconheça na situação “X”;
  • Expor a condição ideal “Y” para que ele perceba a diferença entre as duas;
  • Explorar as diferenças entre “X” e “Y” para que ele saiba exatamente o que lhe falta para migrar de um para o outro. No caso do diretor, as informações prévias de vendas e o sistema de informações necessários para essa atividade.

Isso não é tão simples quanto “Os 10 maiores erros dos diretores comerciais no Brasil”, não é?

Reconhecendo Problemas

Agora, reflita se você seria capaz de reconhecer um problema de maneira sólida com os conteúdos que tem publicado com esse propósito. Se a resposta for sim, ótimo, continue no caminho certo. Caso contrário, é hora de acender o sinal de alerta e repensar sua estratégia.

Afinal, um problema mal reconhecido no topo do funil resultará em um ciclo de nutrição mais longo e confusão durante a busca por alternativas, pois não se sabe ao certo o que precisa ser melhorado ou qual será o resultado final.

Portanto, é importante considerar o objetivo que cada peça de conteúdo cumpre, sempre relacionado à jornada de compra. Se for possível alcançar o objetivo com conteúdo superficial, vá em frente. Mas esteja ciente de que, na maioria dos casos, isso não é o ideal.

O que Constitui um Conteúdo de Qualidade e Impactante

Não é necessário reforçar que tudo começa com um estudo aprofundado para que os conteúdos sejam altamente personalizados e adequados aos leitores, uma vez que é isso que a web exige das empresas. Além disso, existem três elementos básicos que todo conteúdo de qualidade deve possuir:

1. Objetivo da Jornada de Compra

O conteúdo é um ingrediente do Inbound Marketing e essa metodologia visa atrair visitantes e nutri-los para que eles satisfaçam suas necessidades de informação e avancem na jornada de compra. Portanto, todos os conteúdos devem ter um objetivo claro dentro da jornada de compra.

Isso significa cumprir etapas como o reconhecimento do problema, ampliar o conhecimento do leitor sobre a problemática, apresentar caminhos para a solução, auxiliar na comparação de alternativas, fornecer análises de investimento e risco, e destacar os diferenciais da solução oferecida pela empresa.

É importante ressaltar que deve haver mais de um conteúdo para cada etapa do processo de compra, pois existem vários assuntos que aprofundam a compreensão do problema e diversas alternativas para a solução. Evite que seus conteúdos fiquem perdidos na estratégia, passando despercebidos durante o processo de vendas.

2. Conteúdo que Gera Engajamento, Prático e Útil

O segundo elemento é o que faz com que os visitantes retornem. Quando o conteúdo é útil e prático, ele permite que os leitores tomem ações – e é exatamente isso que você deseja. Conteúdos conceituais também têm seu lugar, especialmente para empresas que estão educando o mercado sobre soluções ou métodos inovadores.

Os conteúdos práticos podem ser apresentados em formatos de guias, tutoriais ou passo a passo. Mais importante do que isso, eles devem ser produzidos com informações já validadas, ou seja, mostrando como vocês mesmos aplicaram o que estão ensinando. Isso gera mais credibilidade junto aos leitores, pois eles podem ver os resultados obtidos por meio de práticas testadas e aprovadas.

Para facilitar esse processo, envolva os membros da sua empresa, pois são eles que possuem o conhecimento técnico e prático do que você deseja ensinar. Alguém de fora da empresa pode escrever, mas dificilmente abordará o assunto com a mesma objetividade de alguém que vivencia isso diariamente.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhar:
© iT9 Marketing Digital em Santo André - Todos os Direitos Reservados.
Um produto AbcTudo Notícias