Servidores

Fazer o Windows 10 Voar sem Engasgar com Segurança?
Blog, Company, Redes, Segurança, Servidores, Technology, Windows, Windows 10, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server

Fazer o Windows 10 Voar sem Engasgar com Segurança?

Fazer o Windows 10 Voar sem Engasgar com Segurança? O Windows 10, como a maioria dos sistemas operativos, têm presentes elementos gráficos para atrair os utilizadores. Estes são úteis para a parte visual, mas muitas vezes são autênticos pesadelos no que toca ao desempenho.

Fazer o Windows 10 Voar sem Engasgar com Segurança?

Naturalmente que na maioria dos casos estes podem ser removidos ou simplesmente desativados. As vantagens são óbvias e imediatas, com os sistemas a terem melhores prestações. Veja então como podem tornar o Windows 10 mais rápido.

Uma Melhoria no Windows 10

Windows 10 Mais Rápido Passo 1

Windows 10 Mais Rápido Passo 1

Quem usa o Windows 10 de forma recorrente sabe como os elementos visuais podem ser interessantes. Na verdade, estes servem apenas para tornar o sistema mais apelativo, tornando-o até mais lento e com menor desempenho. Assim, estes podem ser simplesmente desativados.

Para tratarem deste processo, devem aceder primeiro às Definições do Windows 10. Estas estão disponíveis no Menu Iniciar, como tantas vezes já se habituaram a executar noutras situações em que estiveram a melhorar o Windows.

Windows 10 Mais Rápido Passo 2

Windows 10 Mais Rápido Passo 2

Menos Elementos Gráficos, Melhor Desempenho

Dentro das Definições do Windows, deve procurar a opção Facilidade de Acesso para darem continuidade ao processo de configuração. Este deverá abrir uma nova área, dedicada aos elementos visuais deste sistema.

De seguida, e já nesta nova área, devem descer dentro do separador de Tela até ao final. Aí dentro, na área Simplificar e personalizar o Windows, devem ter presente a opção Mostrar animações no Windows. Esta deverá ser desativada.

Um sistema ainda mais Rápido

Após esta alteração, de imediato, o Windows 10 passará a mostrar menos elementos visuais na sua utilização. Assim, irá consumir menos recursos e por isso ser mais eficiente e mais rápido. O ganho pode não ser imediatamente visível.

Esta é mais uma das muitas opções que podem alterar no Windows 10 para que este seja mais eficiente, tenha mais desempenho e assim ser mais rápido. Os ganhos são importantes e superam tudo o que possa ser perdido em termos visuais ou gráficos. Façam esta alteração e vão ser surpreendidos com a mudança.

Como funciona o benchmark, ou Índice de Experiência do Windows?

Existem muitos excelentes programas no mercado para medir o desempenho da máquina levando em consideração processador, memória e placa de vídeo.

Sendo assim, com um Software de Medição de desempenho podemos analisar em todas as versões do Windows 10 (resolver o problema do HD 100% no Windows 10) atualmente, medir a capacidade da máquina de rodar o próprio sistema operacional e todos os seus efeitos de transparência, assim como jogos.

Utilizando a Técnica referenciada acima, pode notar um desempenho melhor de até 03% (três) no desempenho parado da Maquina. Imagine isso em um jogo, são 1 ou 2 frames de bonus. Para você. Se for para trabalhar, imagine uma renderização de 04 (quatro) ou 05 (cinco) horas. Podemos reduzir em alguns minutos. Agora vamos pensar um pouco além, render de 01 (dia).

O Windows 10 possui uma série de efeitos visuais que podem deixar o sistema lento. Essas animações, na maioria das vezes, são apenas para deixar o PC mais bonito e podem ser desativadas sem nenhum prejuízo à máquina. O computador está muito lento? Veja como desativar os efeitos visuais do sistema operacional da Microsoft.

Servidores iT9 Marketing
Blog, Clients, Company, Desenvolvimento de Site, Redes, Segurança, SEO, Servidores

Servidor VPS: O que é, Quando é Indicado? Na iT9 é Gerenciado Sempre!

Servidor VPS: O que é, Quando é Indicado? Na iT9 é Gerenciado sempre! O servidor VPS é uma ótima opção de hospedagem para quem possui um site com um número alto de visitas. Suprimir necessidades Profissionais e de Autoridade principalmente na parte Técnica, como podemos sitar em exemplo o Google. Também é válido para quem possui necessidades que não são atendidas pela Hospedagem Compartilhada. Ao utilizar uma hospedagem VPS, como também é chamada, seu site tem a disposição um servidor de uso exclusivo, que é criado usando tecnologias de virtualização. Utilizado em todos os Cases da iT9 Marketing.

Servidor VPS: O que é, Quando é Indicado? Na iT9 é Gerenciado Sempre!

Caso você nunca tenha ouvido falar de Servidor VPS (Virtual Private Server)? Esse é um tipo de serviço é muito popular para empresas com pedigree. Realizado com negligência por Agencias menores e aventureiros. É vendido pelas melhores hospedagens de sites e também diretamente por Datacenters. Caso da iT9 Marketing, contrata VPS diretamente com Datacenter. Para ter e entregar sempre o melhor serviço.

Diante disso, preparamos um artigo para você entender um pouco mais sobre esse assunto. Pode ser que esta seja uma solução eficiente para você hospedar o seu site ou rodar uma aplicação na Web. Então, não deixe de ler o nosso artigo, aqui apresentamos tudo sobre servidores VPS. Fique por dentro dos assuntos mais recentes, pois com certeza essa é uma das soluções mais utilizadas por gurus e Agências como a iT9 Marketing, que buscam um serviço totalmente flexível e com ótimo custo-benefício.

VPS – O que é servidor

VPS é uma sigla para Virtual Private Server (ou simplesmente Servidor Privado Virtual).

No contexto de servidores, a ideia de um Servidor VPS é muito parecida com os servidores Dedicados (Utilizados pela iT9 Marketing, quando nossa calculadora de recursos o solicita. Nossos clientes, não tem nenhuma preocupação. Nossos técnicos matem sempre tudo funcionando em perfeito estado. Entretanto, nesse caso em especial, um Servidor VPS utiliza os conceitos de virtualização para criar ambientes de hospedagem e execução de aplicações.

Podemos dizer que um servidor VPS é um espaço virtual criado dentro de um espaço físico (constituídos por servidores dedicados). Dessa maneira, um servidor físico pode ser composto por tecnologias de ponta e hardware de última geração para fornecer a melhor experiência para o usuário. Mas, nem sempre os recursos são bem utilizados e é nesse ponto em que entram os Servidores VPS.

Em um servidor VPS, os recursos computacionais são divididos e contidos um mesmo espaço virtual. Considere um servidor físico como uma caixa enorme (um computador de alta capacidade), dentro dela existem outras caixas menores (podemos chamar de servidores virtuais ou instâncias virtuais). Desse modo, as instâncias virtuais podem ser cedidas aos usuários para guardar seus itens pessoas, sem afetar o espaço das outras.

VPS é uma Instância Virtual

Então, um servidor VPS fornece, como uma caixa, uma instância virtual que utiliza o mesmo meio físico para processar aplicações e guardar dados.

Na maior parte, as empresas que mais oferecem serviços de hospedagem VPS são empresas de serviços para hospedagem. No conceito de hospedagem, cada site pode aproveitar um servidor VPS para rodar uma página ou blog (tudo em uma instância virtual), sem interferência de outros usuários do serviço (mesmo se eles estão no mesmo espaço físico).

A diferença de Custos, se dá por todo o desempenho entregue. Serviços baratos, vps de baixa qualidade.

Para facilitar a compreensão disso tudo, podemos pensar em servidores VPS como um enorme condomínio. Cada pessoa que aluga um apartamento reside em um mesmo espaço físico, porém em espaços diferentes (as chamadas máquinas virtuais).

Embora os servidores VPS compartilhem do mesmo espaço físico, os recursos de hardware são contidos para cada máquina virtual. Nesse caso, o serviço de VPS possui um alto nível de segurança, pois um espaço de memória contendo dados de uma aplicação não pode ser acessado ou violado por outros usuários.

Como funciona um servidor VPS

O servidor VPS funciona através da criação de servidores virtuais dentro de uma mesma máquina física, criando assim vários servidores virtualizados muito semelhantes a servidores dedicados. Apesar do funcionamento bastante semelhante, um servidor virtual é, basicamente, um servidor dedicado dividido em várias partes menores.

As técnicas de virtualização, que consistem em criar máquinas virtuais com sistemas operacionais idenpendentes detro de outra máquina, são bastante seguras e garantem o isolamento completo de cada servidor virtual.

Na prática isso confere mais segurança e garante que nenhum outro cliente vai ter acesso a dados ou arquivos do seu servidor virtual (apesar de compartilharem o mesmo servidor físico).

Níveis de Gerenciamento de servidores VPS

Ao buscar mais informações sobre servidores VPS, existem nomenclaturas que podem confundir muito o usuário. Nesse tópico, apresentamos sobre os níveis de gerenciamento de VPS, oferecidos por todas as empresas que fornecem planos de servidores VPS.

Nesse caso, 90% ou seja a esmagadora parte das empresas fornecem três tipos de plano de gerenciamento de servidores VPS: os VPS não-gerenciados,  VPS semi-gerenciados e VPS gerenciados.

Servidor VPS não-Gerenciado

Diferentemente de um servidor VPS gerenciado, no modelo não-gerenciado, o cliente é totalmente responsável por rodar atualizações do sistema operacional, além das configurações das aplicações e alterações mais críticas.

Essa parece uma boa opção para os usuários que buscam liberdade no uso dos servidores VPS. Talvez sua aplicação não rode nas atualizações mais recentes do Sistema Operacional, exigindo que você mesmo tenha o controle sobre isso. Nesse caso, é bom pensar em um plano de Servidor VPS não-gerenciado.

Na maior parte, os Servidores VPS não-gerenciados exigem conhecimento de computação ou de desenvolvimento. Raramente as empresas fornecem uma interface de usuário para este tipo de plano, sendo necessário utilizar linhas de comando para isso.

Então, o conhecimento com Linux é essencial por aqui.

Todos servidores da iT9 Marketing são não gerenciados. Ou seja TOTALMENTE gerenciados por nossos técnicos. Liberdade e desempenho. Tudo o que podemos entregar de melhor ao cliente iT9 Marketing.

Servidor VPS semi-Gerenciado

Em um servidor VPS semi-gerenciado (também chamado de VPS gerenciado parcialmente), existe um certo nível de gerenciamento por parte da empresa de hospedagem. Assim, nem todos os serviços são de responsabilidade única e exclusivamente do usuário.

Embora o modelo semi-gerenciado exija um conhecimento extra por parte do usuário, existe alguns recursos básicos que as empresas de hospedagem fornecem. Nesse ponto, isso vai depender de cada empresa que fornecem a hospedagem em servidores VPS.

Podemos dizer que um Servidor VPS semi-gerenciado é uma extensão dos planos relacionados aos serviços de VPS não-gerenciados.

Dentre as principais vantagens de ambos os modelos (não-gerenciados e semi-gerenciados), podemos destacar o custo reduzido. Como o usuário é responsável pelo gerenciamento do seu próprio servidor VPS, isso acaba reduzindo o custo do serviço (o suporte não precisa agir o tempo todo).

Servidor VPS Gerenciado

Nos servidores VPS gerenciados, as empresas são responsáveis pela maior parte dos serviços dentro dos servidores, o que inclui atualizações periódicas de software e manutenção do sistema operacional.

Em servidor VPS gerenciado, os usuários não precisam se preocupar com questões específicas de manutenção, pois isso tudo é monitorado e gerenciado pelo suporte da empresa em que o plano foi contratado.

Diante disso, esse plano pode ser indicado para usuários que não querem se preocupar com atualizações, manutenção de softwares ou configurações de rede. Nesse caso, a empresa de hospedagem é responsável por tudo isso. Caso você não tenha tempo para focar na manutenção do seu espaço virtual, os servidores VPS gerenciados podem ser uma ótima opção de escolha.

No geral, os VPS gerenciados fornecem um painel de controle simples, pois configurações mais críticas são feitas por terceiros (pelo suporte ou automaticamente por meio de softwares).

Vantagens de um servidor VPS na hospedagem de sites

Recursos computacionais dedicados

Em um servidor VPS, os usuários têm seu próprio espaço virtual (semelhante a um servidor dedicado). Com isso, cada ambiente virtual possui recursos próprios, que podem ser escolhidos conforme os planos oferecidos pelas empresas de hospedagem.

No conceito de virtualização de servidores, os recursos computacionais (como discos de armazenamento, memória e núcleos de processamento) são divididos de forma eficiente nos Servidores VPS. Assim, o usuário pode utilizar os recursos sem qualquer preocupação em extrapolar o limite do servidor, já que aquele espaço virtual não interfere nos outros.

Diante disso, pode-se dizer que um servidor VPS aproveita bem os recursos que possui. Assim, isso é muito benéfico para ambas as partes envolvidas (usuários e empresas de hospedagem).

Custo Reduzido

As empresas de hospedagem oferecem serviços de VPS com um baixo custo para os seus clientes. Isso se deve ao fato do aluguel de um mesmo servidor físico ser compartilhado com outros clientes, eliminando os gastos e barateando o serviço.

Com isso, a relação custo-benefício é muito atrativa para hospedar o seu site. Caso precise de um servidor mais robusto, as empresas de hospedagem também oferecem planos muito atraentes para os usuários mais exigentes, sendo bem mais barato do que contratar planos de servidores dedicados.

Liberdade de uso

Nos servidores VPS o usuário tem total liberdade no uso dos seus próprios recursos no meio virtual. Dessa forma, como aquele espaço é somente seu, existe uma liberdade maior para instalar aplicações (sem interferir no ambiente de seu vizinho).

Além disso, os usuários podem contratar mais recursos sempre que precisarem (respeitando o limite fornecido pelos planos disponíveis). Assim, caso seu site apresente um desempenho insatisfatório, é possível contratar mais recursos para o seu espaço virtual (tudo isso é simples, mas depende de cada empresa de hospedagem).

Escalabilidade de recursos

As empresas de hospedagem sempre monitoram o uso de recursos das máquinas virtuais de seus clientes. Com isso, elas podem fazer recomendações de planos mais acessíveis para aproveitar melhor os recursos para o seu perfil de uso.

Inicialmente, muitos usuários não sabem qual plano contratar e acabam solicitando muito mais recursos do que o necessário. O fato das empresas monitorarem o uso dos ambientes virtuais favorece o usuário. Diante disso, as empresas podem fazer sugestões, permitindo que você migre para um plano mais acessível para o seu perfil de consumo.

Segurança de dados

A segurança é um dos pontos cruciais de uma boa hospedagem. Em um servidor VPS isso não é diferente. Além disso, segurança de dados é um dos tópicos mais buscados para os usuários que querem contratar um plano de hospedagem.

Nesse aspecto, os Servidores VPS são muito seguros. As instâncias virtuais são isoladas das outras, não existe uma interferência ou acesso de ambas as partes.

Mesmo com um nível de segurança tão alto, o usuário ainda pode personalizar seu próprio ambiente, permitindo editar medidas relacionadas à segurança e instalar aplicações para isso.

Customização

Os servidores VPS também são uma ótima opção para quem busca um certo nível de customização de recursos.

Quando o assunto é Servidor VPS, os usuários podem escolher como criar seu ambiente de máquinas virtuais, escolhendo o sistema operacional, configurações de software, aplicações instaladas. Além disso, um cliente consegue rodar vários sites em um mesmo espaço virtual, compartilhando dos mesmos recursos de armazenamento, sem necessidade de comprar um espaço extra.

Para quem é indicado o servidor VPS

Como já abordamos os principais pontos sobre servidores VPS, será mesmo eles são a opção mais indicada para você? Esse tópico pode tirar a suas dúvidas mais frequentes sobre esse assunto.

Servidores iT9 Marketing

Servidores iT9 Marketing

De um modo geral, o perfil de usuários que utilizam os servidores VPS é muito amplo, mas existe um padrão em comum entre eles. Nesse ponto, os servidores VPS são para usuários que precisam de serviços de hospedagem mais robustos.

Outro ponto em comum é que normalmente o usuário da hospedagem VPS precisa fazer personalizações ou configurações avançadas no servidor que não são permitidas numa hospedagem compartilhada. Pelo fato do servidor VPS ser a opção mais em conta depois da compartilhada, ela acaba sendo a melhor opção para estes casos.

De forma resumida, o servidor VPS é indicado para:

  • Sites com Alto Tráfego;
  • Para quem Deseja Customizar o Servidor
    • necessário ter Acesso Root;
  • Para ter mais Segurança;
  • Para quem deseja mais Desempenho.

Desvantagens e Limitações dos Servidores VPS

A maior desvantagem do servidor VPS acaba sendo a necessidade de conhecimentos técnicos para administrá-lo. Porém, algumas empresas oferecem painel de controles que tornam a administração do mesmo tão fácil como a de uma hospedagem compartilhada.

Para quem não tem muito conhecimento técnico, o ideal é buscar por servidores VPS que ofereçam o painel cPanel ou algum outro painel que facilite o gerenciamento do servidor.

É importante verificar também se a empresa de hospedagem não oferece planos muito limitados que com o tempo não vão atender mais suas necessidades e te obrigar a migrar para um servidor dedicado (que é bem mais caro).

Como escolher um servidor VPS

Não existe uma matemática exata para escolher um servidor VPS. Bom se existisse uma forma de calcular quanto de memória e processador você vai precisar, a verdade é que isso não existe.

No geral, se você nunca usou um servidor dedicado e não sabe o quanto de CPU e memória precisa, o ideal é começar pelo plano mais básico e ir aumentando a medida que forem exigidos mais recursos.

Normalmente este tipo de serviço permite fazer esse upgrade do plano facilmente.

Para sites com alto tráfego também é importante avaliar a possibilidade de contratar um servidor dedicado, que oferece ainda mais desempenho que um servidor VPS normalmente oferece.

Portanto, ao contratar um servidor VPS, além dos requisitos básicos (memória e CPU), avalie a qualidade da empresa, o suporte oferecido e os recursos que estão inclusos, como transferência mensal e espaço de armazenamento, para certificar-se que eles atendem as necessidades do seu projeto.

Além disso, é importante também verificar se ele oferece as seguintes facilidades:

  • cPanel
    • Painel de controle que permite gerenciar os recursos do servidor, adicionar contas de e-mails, gerenciar arquivos e muitas outras funções facilmente.
  • WHM
    • Painel que permite criar contas independentes para revender o serviço de hospedagem ou dividir por clientes. Também permite gerenciar atualizações do servidor facilmente.

Tipos de servidores existentes

Para entender o que é um Servidor VPS, precisamos entender um pouco mais sobre como funcionam os servidores. Com isso, existem muitos tipos de servidores, projetados para os mais variados fins.  Aqui listamos os principais tipos de servidores existentes:

  • Servidores VPS
    • Esses servidores implementam uma combinação de virtualização com servidores dedicados. Desse modo, um servidor VPS fornece instâncias virtuais (máquinas) dentro de um mesmo servidor. Tais instâncias virtuais podem ser cedidas ao usuário como uma espécie de espaço para utilizar aplicações, hospedar sites, criar serviços de e-mail, entre outros.
  • Servidores Cloud
    • Esses servidores implementam serviços relacionados a Cloud Computing. Assim, um servidor Cloud fornece um ambiente virtual conectado com milhares de outros servidores em uma mesma rede. Esse tipo de servidor é muito comum em empresas que fornecem serviços de Cloud Computing, como Amazon, Microsoft, Google, HostGator, LocaWeb, etc.
  • Servidores DNS
    • Esses servidores servem para traduzir um endereço IP para nomes de domínio. Nesse caso, ao acessar um site na Internet, o servidor DNS traduz o endereço passado como hiperlink (como www.google.com) e acessa o IP associado a ele.
  • Servidores de Banco de Dados
    • Esses servidores implementam algum tipo de sistema de manutenção e gerenciamento de banco de dados.
  • Servidores Dedicados
    • São serviços que disponibilizam um servidor exclusivo para cada cliente. Em vez de serem servidores virtuais (como no caso da VPS e Cloud) a hospedagem dedicada oferece um servidor físico exclusivo para o cliente.

A Virtualização de Servidores

Para entendermos como funciona os Servidores VPS é necessário falar um pouco sobre virtualização. Nesse contexto, a virtualização permite a utilização da capacidade total de um servidor dedicado, distribuindo os recursos computacionais em fatias, dividindo tais fatias para vários usuários (tudo isso na mesma máquina física).

Em termos práticos, a virtualização permite um melhor aproveitamento dos recursos disponíveis. Dessa maneira, quando um componente de hardware (como memória, CPU ou espaço em disco) não é usado totalmente, ele pode ser alocado para outra pessoa.

A virtualização ainda permite que vários sistemas operacionais sejam executados em uma mesmo servidor físico. Assim, é possível criar tarefas ou aplicações independentes, aproveitando o máximo de desempenho possível, sem desperdício é claro.

De forma resumida, a virtualização transforma o ambiente computacional em uma estrutura que é independente do meio físico. Logo, um aplicativo pode utilizar apenas uma fatia dos recursos computacionais, enquanto as partes ociosas dessa tarefa (como núcleos de processamento não utilizados) podem ser reaproveitados para a execução de algum outro serviço.

Com relação a servidores, a virtualização permite um melhor uso de recursos computacionais, flexibilidade, agilidade e eficiência. Além essas, existem muitas outras vantagens de virtualizar um ambiente, são elas:

  • Em um mesmo equipamento físico (servidor), é possível aproveitar recursos não utilizados (como espaço de memória, núcleos de CPU, etc). Dessa forma, podemos executar (em um mesmo servidor) diferentes aplicativos e sistemas operacionais.
  • Na virtualização, é evidente que a utilização do hardware é muito mais eficiente, pois nenhum recurso é realmente desperdiçado. Com a virtualização, espaços de memória não alocados podem ser reaproveitados para armazenar dados de uma outra aplicação, isso tudo em um mesmo servidor.
  • A dimensionalidade é uma das principais característica da virtualização. Com isso, é possível escolher a fatia de hardware que será doada para cada cliente, aumentando ou diminuindo sempre que necessário (ou dependendo do plano contratado).
  • Uma outra vantagem da virtualização é relacionada ao custo. Implantar vários servidores em um mesmo ambiente físico é realmente custoso. Agora, um mesmo servidor pode ser fatiado, e as tarefas que seriam alocadas para outro servidor podem ser rodadas na máquina virtual.

Isso parece muito interessante, não é mesmo? É por esse motivo que os servidores VPS são tão atraentes, já que a virtualização é um ponto chave dos serviços de hospedagem VPS.

Ainda no contexto de virtualização, a infraestrutura de tecnologia da informação pode fornecer diferentes tipos de virtualização, como a virtualização de servidores, virtualização de desktops e virtualização de aplicações. Preparamos uma lista com a característica de cada um desses modos de virtualização, como mostra o tópico a seguir:

  • Virtualização de Servidores (ou Hypervisor) – nesse tipo de virtualização, um servidor é dividido em instâncias, as chamadas máquinas virtuais (cada uma com um sistema operacional, uma quantidade específica de memória e de CPU). Como os servidores podem ter vários processadores em um mesmo equipamento, é possível dedicar cada processador para uma máquina virtual diferente, permitindo um maior proveito do recurso de processamento.
  • Virtualização de Desktops – nesse caso, existe o isolamento do sistema operacional. Com isso, existe um ambiente central (geralmente composto por vários servidores) para executar o processamento dos computadores (Desktop) dentro de uma mesma empresa. Assim, não é necessário ter computadores robustos em toda empresa, já que existe uma entidade central para fazer tudo isso.
  • Virtualização de Aplicações –  a virtualização de aplicações envolve a emulação de algum sistema em especial. Assim, é possível centralizar um determinado sistema, sem a necessidade de que ele seja instalado em cada equipamento que o acessa. Nesse ponto, a virtualização de aplicações é muito utilizada em serviços de nuvem, onde uma mesma aplicação pode ser acessada remotamente, sem a necessidade de baixar programas (ou partes dele) para a o seu computador pessoal.

Gostou de saber sobre a tecnologia de virtualização? Ela é uma das principais características dos servidores VPS.  Agora podemos saber mais sobre como os Servidores VPS funcional. Então, fique por dentro desse assunto, isso pode te ajudar a melhorar a hospedagem do seu site na Web.

Conclusão

Nesse artigo, apresentamos detalhes sobre os Servidores VPS. Diante de todos os assuntos abordados, os Servidores VPS parecem uma opção muito viáveis para hospedagem de sites, ainda mais se levarmos em conta o custo-benefício disso.

Assim, para cada caso é um caso. Antes de contratar um Servidor VPS, pesquise sobre suas demandas, para não gastar o dinheiro com um serviço que pode não atender todos os pontos do seu negócio.

Aqui na iT9 Marketing, temos

  • Rotina de Backup,
  • Rotina de Testes
    • Desempenho e
    • Falhas
  • Gerenciamento em Massa.

Pensando sempre no Cliente e Resultados os quais entregamos.

3 – Motivos Para Seu PC Desliga Sozinho
Blog, Notebooks, Servidores, Smartphones, Technology

3 – Motivos Para Seu PC Desliga Sozinho

Amigo, se seu computador ou PC seu PC está desligado sozinho possivelmente pode ser problema de hardware e sim também de Software, mas a probabilidade de ser software se você não instalou nada de diferente é bem baixa (Não adianta xingar o Windows, dizer que este é uma bosta e tals).  Sabe, normalmente as principais Causas e focos para o PC simplesmente apagar do nada são:

  • Dissipador,
  • Memórias,
  • Placa de Vídeo e
  • Fonte de Alimentação.

Todas as partes de um computador ou PC estão sujeitos a dar problemas e a vir a falha. Qualquer parte mesmo, principalmente as físicas do computador estão a sujeitos a problemas e consequentemente a vários tipos de situações que mudam seu funcionamento normal.

Dissipador peça Fundamental do Computador(PC)

Essa peça que se temos o dissipador: Pode ser de alumínio, Cobre, Prata e hoje em dia temos o de refrigeração a água (tem também os de nitrogênio para overclock, mas vamos nos manter nos padrões normais e vendidos na indústria) e normalmente fica posicionado sobre o processador (em cima dele): A sua Função básica é a de aumentar a superfície de contato com o processador e fazer com que o Calor gerado pela peça do processador seja Compartilhado com este item o dissipador.

Eu sei que vem a dúvida: Mas meu amigo, até agora, já li até aqui e você está com a pulga atrás da orelha:

Mas e daí? Falou falou falou e não disse nada! pois ainda não resolveu meu problema! Calma, espera mas o pouquinho, que já estamos chegando lá, sem explicar como, adianta dizer onde?
O Dissipador, quando ele chega a seu momento de o nível estar Excessivo ele faz com que seu computador fique desligado sozinho.

Principais Pontos Chave e Motivos:A Pasta Térmica que é colocada entre o Dissipador e o Processador está desgastada e não mais exercendo a função dela, o que leva o dissipador a falha bem mais rápido e assim levando a Queima e o PC, para tentar se proteger do super aquecimento se Desliga Sozinho assim que uma temperatura pré determinada pelo fabricante é atingida.

3 – Motivos Para Seu PC Desliga Sozinho

Motivo: Dissipador é feito para executar a função de dissipar. Porque a função do dissipador é refrigerar e, consequentemente, retirar o calor gerado pelo processador e dissipar. Este é um ótimo motivo para você começar ou continuar sempre a fazer a manutenção no seu computador. Já a solução para o Problema e para saber como está a pasta térmica no processador, tem que abrir e limpar a anterior passando um pasta nova! Nunca reaproveite a anterior. Dessa maneira conseguimos dizer que Garantimos a integridade do processador, mantendo trabalhando sempre a uma boa temperatura e aceitável.

Principais Causas do seu PC, estar Desligado Sozinho

Tem dúvida sobre a temperatura que seu Computador trabalha? Está apreensivo quanto a temperatura atual? Seja porque está em um lugar quente ou porque o barulho do cooler trabalhando é sempre forte e estridente. Dá para fazer a medição sem ter que abrir o computador sabia?

Para verificar a temperatura do seu processador poderá utilizar SpeedFan.

Problemas Relacionados as Memórias 

Memória Ram: Bom, se mesmo conosco memória é um problema, imagina para seu computador. Se as memórias estão com problemas ou seja de qualquer maneira estão falhando, de tal maneira que os dados que elas carregam poderão ser corrompidos, fazendo com que seu Computador venha Desligar Sozinho ou Travar até mesmo fazer na tela aquele efeito defeito onde partes da tela ficam em branco outras normais depois volta. Se o Computador não consegue ler o que salvou, ele entra em pane e ou trava ou desliga.

Certificar que as memórias são as culpadas por seu tormento: Primeiro passo é abrir o PC e retirar as memórias do slot da placa-mãe, utilizando uma borracha (borra de apagar grafite lapiz mesmo, branca e mole) (limpa de preferência) passe uma borracha nos conectores da memória (Não da placa mãe e não assopre a memória nunca!), reinstale ou coloque novamente as memórias em suas posições e ligue o computador.

Não Resolvendo, passe para segundo plano, compre um vidro de álcool isopropílico e o pincel antiestático passe na memória, e no slot da placa-mãe, espere uns 20 minutos até que faça efeito.

Retorne o procedimento novamente, coloque a memória e ligue seu computador.

Placa de Vídeo

A Placa de Vídeo (Aceleradora Gráfica seja PCiE ou AGP) tem como a principal função processar as imagens converte-las para analógicas e ou digitais e enviá-las ao monitor. Mais que isso, é ela quem garante a qualidade das exibições, já que é a responsável pela quantidade de cores, taxa de atualização e resolução da tela.

Seu Computador está Desligado por causa da Placa de Vídeo (Aceleradora Gráfica seja PCiE ou AGP)?

Veja os Principais Erros ao Colocar uma Placa de Vídeo(Aceleradora Gráfica seja PCiE ou AGP)

  • Não Fixar Corretamente a Placa de Vídeo no Slot
  • Não Parafusar ela nas Extremidades
  • Drives instalados Incorretos
  • Não Instalar o Driver do Fabricante
  • Utilizar Drivers Beta ou Alfa

Quando você vai instalar uma Placa de Vídeo no seu PC, recomendamos que faça o uso de uma pulseira antiestática, pra que?

Teoricamente parecer tudo normal ao instalar uma placa de vídeo sem usar a pulseira antiestática, não é mesmo! Pois você esta enganado, ao decorrer do tempo sua Placa de Vídeo vai esta sendo danificada ao excesso de força estática que ali está localizada e nela pode estar se descarregando. Isso para todo o PC. Inclusive nos passos anteriores.

Fonte de Energia

A Fonte de Alimentação é um dispositivo que converte as tensões de 110VCA ou 220VCA de corrente alternada da rede elétrica convencional, para as tensões em corrente contínua utilizadas pelos componentes eletrônicos do computador, que são: +3,3VCC, +5VCC, +12VCC, -5VCC e -12VCC. A fonte também participa do processo de refrigeração, facilitando a circulação de ar dentro do gabinete.

Se ela queimar, o Computador (PC), obviamente,  não vai dar sinal de vida e não vai ligar. Se ao tentar ligar seu micro computador (PC) em momento algum nenhum dos leds (luzinhas) do Gabinete ou Drives (CD/DVD) se acende, nenhum ruído interno convencional do computador estar iniciando, o monitor fica sem sinal ou não apresenta nada do computador que normalmente mostraria então amigo é certo que a fonte queimou.

Para resolver, troque a fonte.

Proxy transparente x não transparente: Desvendando os mitos
Blog, Endian Firewall, Fraudes, Segurança, Servidores

Proxy transparente x não transparente: Desvendando os mitos

Por que proxy não transparente é melhor que o transparente

A explicação simples é a de que, além de ser mais seguro, o proxy não transparente usa o recurso do cache de DNS. Para a explicação detalhada, leia o post:

A explicação simples é a de que, além de ser mais seguro, o proxy não transparente usa o recurso do cache de DNS. Para a explicação detalhada, leia o post:

Proxy transparente x não transparente: Desvendando os mitos

Proxy transparente x não transparente: Desvendando os mitos

Como funciona o proxy?

A palavra proxy significa literalmente procurador. No caso de um proxy HTTP, o servidor recebe uma requisição HTTP, a interpreta e executa as ações necessárias para respondê-la. Como geralmente possui um cache, ou ele responde com o conteúdo do cache, ou requisita o recurso (arquivo) ao servidor HTTP original, desta vez como um pedido próprio.

Proxy Transparente

O proxy transparente é uma arquitetura que permite que o navegador cliente não saiba da existência do proxy. Ele acha que está solicitando o recurso diretamente ao servidor original; o proxy encarrega-se de capturar e processar a solicitação.

A principal vantagem nesta arquitetura é que não é necessária a configuração de proxy nos navegadores cliente. Outra (incorretamente) alegada vantagem é que o proxy não transparente não impede a conexão direta à Internet.

Como fica o navegador?

Uma requisição comum de um agente HTTP se dá em duas fases:
1) há a requisição DNS para resolver o endereço de destino;
2) é feita a requisição HTTP propriamente dita.

Se o navegador não conhece a existência do proxy, ele irá fazer inicialmente a requisição DNS e, após resolvido o endereço, irá lançar a requisição HTTP ao servidor original. O proxy, por sua vez, não irá usar o DNS resolvido pelo navegador, e fará sua própria requisição DNS antes da requisição HTTP.

Existe uma consideração importante: apesar de o pacote DNS ser pequeno e transmitido em UDP, o tempo de resolução costuma não ser desprezível. Às vezes, chega a mais de um minuto. E é o minuto mais importante, porque fica entre o <ENTER> e o aparecer alguma coisa no navegador.

É, portanto, interessante para a LAN ter um cache DNS interno servindo a todas as máquinas. Isto pode ser feito com a instalação de um servidor DNS ou com o uso do cache DNS do próprio Squid.

Se o navegador conhece o servidor proxy, ele não fará nenhuma resolução DNS e fará a solicitação do recurso ao servidor proxy, não ao servidor original.

DNS com Squid e BIND

O Squid possui um cache DNS interno que pode ser acessado com o CGI Cache Manager (no debian, pacote squid-cgi ou squid3-cgi), item Internal DNS Statistics. O recurso é tão bom que diz o quanto tempo falta para cada entrada DNS expirar.

Não achei recurso semelhante no BIND (servidor DNS mais usado no mundo). No máximo, estatísticas gerais. O BIND é dividido em duas partes: servidor com autoridade e servidor de encaminhamento. Segundo sua documentação, é focado na performance.

Quando fiz meu TCC, tive que analisar algumas centenas de requisições DNS. E apesar de não ter visto os dados concretos do BIND, tive a nítida impressão de que o Squid é mais confiável no quesito cache. Ele visivelmente fazia menos encaminhamentos (ou seja, dava mais respostas de cache).

Segurança

Os vírus não usam proxy. Eles assumem uma conexão direta a Internet. Quando se usa proxy transparente, você está encaminhando as mensagens de vírus para a Internet. Simples assim.

Uma segunda consideração está relacionada também à conectividade: no modelo não transparente, os navegadores não precisam estar conectados à Internet. Eles só precisam estar conectados ao proxy e este se vira pra chegar à web. Se você costuma usar apenas web, então pode usar um gateway falso nos clientes. Isso significa que os softwares que não conhecerem o proxy não poderão iniciar mensagens para a Internet, pois não sabem a rota. Às vezes, pode ser útil.

Além disso, não é válido o argumento de que não se pode controlar a conexão no proxy não transparente. No proxy transparente, captura-se o pacote e, dessa forma, assegura-se que ele irá seguir o caminho do proxy. Na arquitetura de proxy não transparente, pode-se inibir o uso de Internet sem o proxy colocando-se um filtro do netfilter (via iptables) no firewall.

Se o proxy está no gateway, deve-se permitir (ACCEPT) pacotes para a porta 80 (–dport) apenas vindos da própria máquina (OUTPUT) e deve-se bloquear (DROP) as vindas da rede (FORWARD) para fora.

Se o proxy não está no gateway, deve-se permitir pacotes na porta 80 cuja fonte (-s) seja o proxy e bloquear as outras.

A sintaxe é aproximadamente essa:

proxy na mesma máquina firewall/gateway.
# iptables -A INPUT –dport 80 -j ACCEPT //requisições da LAN para o proxy
# iptables -A FORWARD –dport 80 -j DROP //requisições da rede pra fora
# iptables -A OUTPUT –dport 80 -j ACCEPT //requisições do proxy pra fora

proxy em máquina interna da rede.
# iptables -A FORWARD -s <ip.proxy> –dport 80 -j ACCEPT //requisições do proxy pra fora
# iptables -A FORWARD –dport 80 -j DROP //requisições da rede pra fora

Conclusão

Quanto à performance, existem duas formas eficientes de se fazer a dobradinha proxy/cache e cache DNS. Usando proxy transparente e servidor DNS ou usando o Squid como proxy não transparente.

Na primeira forma, deve-se colocar o servidor DNS interno à LAN e fazer com que tanto o proxy quanto a LAN utilizem-no. É comum as LAN Houses e mesmo as pequenas empresas usarem o servidor DNS do provedor. Isso é prejudicial no proxy transparente, já que as requisições são individuais dos navegadores, gerando tráfego desnecessário.

Na segunda forma, o servidor proxy Squid encarrega-se de fazer o próprio cache DNS. Esta implementação é mais simples e mais econômica em recursos. Pela “filosofia” KISS, pode-se dizer que é melhor.

E se houver um duplo uso de cache? Proxy não transparente + servidor DNS interno? Fiz isso no meu TCC, pensando que era a melhor saída. Pelo que pude analisar (com squid 2.7 e BIND 9.5), sempre que o squid requisitava DNS, o BIND9 encaminhava a requisição. Ou seja, o squid era suficiente. Além do mais, o servidor BIND estava configurado para realizar requisições em múltiplos servidores DNS caso o simples encaminhamento falhasse. O tráfego era enorme e redundante.

Quanto à segurança, parece-me que o melhor mesmo é usar proxy não transparente, principalmente por causa dos vírus, trojans e toda a fauna de processos mal intencionados no sistema operacional. No Windows, isso é vital. Coloca-se um gateway e servidores DNS falsos e processa-se apenas o que vier através do navegador. Sugiro utilizar uma máquina válida preparada para receber os pacotes não autorizados, de modo que identifique-se, via tcpdump, a origem e intenção destes pacotes.

Uma preocupação constante é quanto à facilidade de configuração da rede. Para isto, há o método do proxy auto-config (PAC).

Pelos motivos explanados acima, é possível considerar que em ambientes simplificados o uso de proxies não transparentes ofereça mais vantagens que desvantagens em relação aos transparentes. Claro que cada caso é um caso. Às vezes, a vantagem na facilidade de implantação do proxy transparente pode suplantar todas as vantagens do outro modelo.