Suporte

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada
Blog, Suporte

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

A maioria dos aparelhos vendidos atualmente, seja um celular, um tablet, uma geladeira, ou qualquer outro eletrônico, possui uma tomada com três pinos, o novo padrão brasileiro. Muitas casas, porém, ainda usam entradas antigas, com apenas dois pinos. Alguns usuários optam por quebrar o terceiro pino, mas a prática pode não ser uma boa ideia.

Acessório para Macbook e iPad economiza espaço com plug na tomada

Entenda agora para que serve o terceiro pino da tomada, qual a sua importância e as vantagens para os eletrônicos.

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

Terceiro pino: tirá-lo das tomadas pode danificar eletrônicos (Foto: Allan Melo/TechTudo)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

O que o terceiro pino faz?

O terceiro pino da tomada, também conhecido como “terra”, é responsável por levar a energia excedente para o solo, desmagnetizando o aparelho e evitando acidentes ou problemas maiores.

Como a rede elétrica em alguns locais não é estabilizada, fugas de tensão são comuns e a energia que escapa da tomada fica armazenada na carcaça metálica do dispositivo. Assim, se alguém encostar na carcaça, toma um pequeno choque. Em dias chuvosos e de trovoadas, o aparelho também pode ser submetido a uma sobretensão e queimar.

Com o terceiro pino, toda a energia extra é descarregada no solo e não nos componentes eletrônicos. Assim, o modelo acaba por ser um novo item de segurança obrigatório.

Qual a importância do terceiro pino?

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

O terceiro pino pode proteger contra raios e sobretensões (Foto: Pond5)

A importância deste pino extra é óbvia: proteger o seu eletrodoméstico de problemas da rede elétrica, como sobretensão e fugas de tensão. Desta maneira, os componentes eletrônicos vão durar muito mais e você não precisará gastar dinheiro tão cedo comprando um novo.

Existe também a importância da segurança. Com o pino terra em funcionamento, o usuário fica protegido de eventuais choques elétricos. Alguns são bem perigosos, como os de chuveiro elétrico, que podem ser potencializados visto que a pessoa geralmente está em um ambiente úmido e até totalmente molhada.

Arrancá-lo é ruim?

Como já dissemos acima, casas mais antigas ainda usam o padrão antigo, com só dois pinos. Assim, o proprietário não acha conveniente trocar todas as tomadas do imóvel apenas para usar eletrodomésticos novos. Então, considera mais fácil e mais barato arrancar o terceiro pino.

Embora os aparelhos eletrônicos funcionem normalmente sem o objeto, há os já explicados riscos de choques elétricos e queima dos componentes eletrônicos. Uma economia na troca das tomadas pode, em um futuro não muito distante, representar um prejuízo quando o aparelho queimar, por exemplo.

Neste artigo é possível observar que os computadores, por exemplo, funcionam normalmente sem o terceiro pino, mas são os mais sensíveis às variações de energia.

Vale ressaltar, entretanto, que para o terceiro pino ser usado corretamente, não basta que esteja apenas ligado na tomada. A própria tomada precisa estar aterrada, conforme explicamos neste artigo sobre aterramento.

Quais as vantagens do pino extra?

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

Tudo que você precisa saber sobre o terceiro pino da tomada

Adaptador é a melhor saída para ligar equipamentos antigos nas novas tomadas (Foto: Divulgação/Daneva)

O terceiro pino da tomada tem duas vantagens principais. Primeiro, a segurança. O aterramento protege os usuários de possíveis choques elétricos. Visto que a carcaça do eletrônico não estará magnetizada, qualquer um pode tocar nela sem nenhum problema.

A segunda grande vantagem é a durabilidade dos eletrônicos. Com a proteção elétrica provida pelo fio terra, o aparelho não queimará por problemas na rede elétrica. Assim, indiretamente, o proprietário acaba por economizar, visto que vai adiar uma nova compra.

Blog, Segurança, Suporte, Windows

Coisas tolas que as pessoas fazem em seus PCs (e que os técnicos adoram)

Alguns usuários (pra não dizer uma boa parte) encontram maneiras de se meter em apuros com seus computadores – desde coisas banais, como encher o micro com programinhas gratuitos, até coisas mais sérias que podem deixar um computador ou mesmo toda uma rede exposta.

Todos nós, vez por outra, fazemos coisas que não são lá muito inteligente. Os usuários de computadores não são exceção. Apertar uma tecla por engano ou clicar de maneira inocente num “OK” pode mudar causar alguns problema, muitas vezes comprometendo o bom funcionamento do computador.

Aqueles que estão iniciando no mundo da informática, em geral, tem medo de fazer alguma coisa errada e estragar o micro permanentemente. Felizmente, as consequências não costumam ser tão dramáticas. Ainda assim, usuários costumam criar problemas em seu próprio computador. Eis algumas das coisas tolas que as pessoas fazem em seus computadores.

[hr style=”4″ margin=”40px”]

1 – Ligar o micro na tomada sem qualquer preocupação com a eletricidade

Isso é algo que pode danificar o computador fisicamente bem como os dados que nele estão.

Muita gente acham que os computadores só estão em perigo em dias de tempestade, entretanto, qualquer coisa que interrompa o fornecimento de energia elétrica durante o funcionamento do micro pode danificar seus circuitos bem como os programas em execução e também os dados que estiverem sendo manipulados.

Tal interrupção pode ser rápida, coisa de milissegundos, ou mais demorada, talvez décimos de segundos, mas acontecer de tal forma que leve o reinício do computador. A causa da interrupção pode estar na instalação elétrica da casa ou na rede elétrica da rua. No primeiro caso, acontece quando é ligado algum equipamento guloso no consumo de energia (como chuveiro, ou motores elétricos). Já no caso das interrupções proveniente da rede externa (a da rua) podem acontecer por vários motivos – motivos estes que cabe a concessionária de energia resolver – costumam causar maiores problemas já que, quando a energia retorna, pode vir com muito mais força podendo danificar a fonte e/ou outros componentes.

Para diminuir as chances de ocorrer tais problemas, os computadores e seus periféricos (impressoras, roteadores, etc) deve ser protegidos primeiramente por uma boa instalação elétrica. Deve haver também um bom filtro de linha ligando o computador à rede elétrica. Imprescindível também é utilizar uma boa fonte de alimentação – veja mais aqui e aqui. É muito comum as pessoas gastarem muito dinheiro em placas de vídeo, processadores… mas não investem numa boa fonte de alimentação, comprando sim uma fonte de problemas. Algo a ser evitado também é o uso de estabilizadores de tensão, ainda tão comum em nossos dias – veja aqui o porque de não usar estabilizadores. Já o uso de No-Break é um tanto debatido. Alguns defendem o seu uso pois sua bateria fornece energia no caso de falta da mesma, dando tempo para interromper suas atividades e desligar o micro corretamente. Já outros são contra dizendo que não passam de um estabilizador com bateria.
[testimonial author=”Danillo Leite – IT9.com.br.”]Nessas horas um simples estabilizador não ajuda! Não se iluda! Você precsa de um Nobreak de Qualidade, para além de estabilizar a rede ainda lhe dar um segurança em uma queda repentina de energia.[/testimonial]

[hr style=”4″ margin=”40px”]
2 – Deixar de usar ou de atualizar programa de antivírus e anti-spyware

Mesmo sendo bem chatos em certos momentos, é extremamente não recomendável o uso de um PC sem a proteção de um antivírus. Programas maliciosos estão ficando cada vez mais complexos e criativos, de modo que a utilização de um bom antivírus atualizado é de suma importância. Além dos vírus propriamente ditos, há ainda outras pragas virtuais como trojans, worms, adwares, spywares dentre outros. Seja qual for o nome e o tipo, eles servem com um único objetivo: prejudicar o usuário e tem de ser combatidos, sob pena de prejudicar não apenas a si próprio mas também de espalhar para outros micros da rede e da internet e/ou seus contatos. Quanto aos spywares, boa parte dos antivírus não os combatem de maneira eficaz, sendo interessante utilizar um programa especializado na área.

Bons antivírus: Avira, G-Data, Kaspersky, F-Secure.

Bons antispywares: Malwarebytes, SpyBot Search & Destroy e Spyware Terminator.

Um outro item importante no tocante a segurança dos computadores é o uso de um firewall. O termo significa algo como muro de fogo, ou de proteção, que serve para isolar o computador das águas de mar aberto da Internet. Ele pode estar embutido no roteador de banda larga, num servidor de Internet, ou programa instalado na máquina. Pode até ser o que já vem com o Windows. O importante é usar um. Bons firewalls são Comodo, OutPost, ZoneAlarm e OnlineArmor. Mas apenas estar protegido por um firewall não é o suficiente. É preciso que ele esteja configurado corretamente e não saia permitindo tudo o que entra e sai pela Internet.

Interessante também é criptografar o HD, pastas específicas ou documentos isolados. Um bom programa para a tarefa seria o Truecrypt.

[testimonial author=”Danillo Leite – IT9.com.br.”]Anti-virus são um auxilio necessário mas não estão imunes a dar problemas. Questione-se sempre se o que vai fazer é seguro. Não confie 100% nos Anti-virus[/testimonial]

[hr style=”4″ margin=”40px”]
3 – Instalar e desinstalar muitos programas, sobretudo os de origem suspeita ou em versão beta

Muitos usuários, por quererem ou precisarem usar as últimas versões dos seus softwares estão sempre instalando e desinstalando programas, que às vezes estão ainda em versão beta (teste). Há muitos e muitos programas freewares e sharewares disponíveis na Internet, isso sem falar das cópias “genéricas” que rolam soltas por aí que nem se sabe de onde vem e pode conter diversas pragas virtuais. É fácil e relativamente comum o usuário instalar um monte de programas dos quais não necessita.

Mas qual o problema de fazer isso? Quanto mais programas forem instalados maior será a chance do usuário encontrar algum aplicativo que deteriore o registro do Windows, ou ainda, que instale algum tipo de código malicioso no computador ou mal escrito, podendo desestabilizar o sistema operacional e seus aplicativos.

Sendo assim, o ideal é que seja instalado apenas os programas que sejam necessários e que esses sejam legalizados, em suas versões finais, com todas as atualizações disponíveis.

Se você é daqueles que não resiste à tentação de experimentar novos programas, pelo menos não faça isso no micro de trabalho. Reserve um computador, mesmo que velhinho, que possa ser formatado a qualquer momento, ou então faça uso de máquinas virtuais usando o VMWare, Virtual PC ou outro da sua escolha.

[testimonial author=”Danillo Leite – IT9.com.br.”]Utilize só o necessário e seguro[/testimonial]

21_06_2014_22_47_19

[hr style=”4″ margin=”40px”]
4 – Manter os discos cheios e fragmentados

Está é uma outra consequência de ficar instalando e desinstalando um monte de programas. Isso ocorre devido ao modo em que os dados são gravados nos discos rígidos. Em um disco ou partição nova e limpa, quando um arquivo é salvo, este fica armazenado em setores vizinhos. Estes setores são chamados de clusters.

Quando é deletado um aquivo qualquer, que ocupa, por exemplo, 8 clusters e depois salva um outro arquivo que irá ocupar 13 clusters, os primeiros 8 clusters de dados serão armazenados no espaço vazio deixado pelo arquivo anteriormente deletado e os 5 clusters de dados restantes serão armazenados nos próximos 5 clusters que estiverem vazios. Isso fará com que o arquivo fique fragmentado, isto é, dividido em partes espalhadas no HD. Para acessar este arquivo, o disco irá deslocar seu cabeçote de leitura (ao mais ou menos parecido com o movimento das agulhas nos tocadores de disco de vinil) para os setores onde se encontram dados do arquivo, tornando um pouco mais lento o acesso a ele. Soma-se todos estes “um pouco mais lento”, um disco que esteja muito fragmentado pode deixar o sistema extremamente lento.

Para resolver o problema, utilize o Desfragmentador de Disco que vem embutido no Windows (Iniciar > Programas > Acessórios > Ferramentas do Sistema > Desfragmentador de Disco). Pode ser usado também programas de terceiros como o Disk Defrag, o Defragger, e o MyDefrag.

Um disco que esteja muito cheio também causa diminuição da performance e erros no sistema. A grande maioria dos programas criam arquivos temporários no disco, sendo necessário assim espaço extra para operar normalmente. Não é uma tarefa fácil especificar o quanto de espaço deve ser reservado, pois isso depende de vários fatores como o programa em questão, a quantidade de memória RAM instalada no micro e muitos outros. A grosso modo, deixe ao menos 5 GB, permitindo assim um boa folga.

Para conseguir mais espaço em disco, apague tudo o que não for estritamente necessário ficar no HD. Pra quê guardar aqueles vídeos que você raramente? Grave-os em Cds ou DVDs. O mesmo deve ser feito com aqueles programinhas instalados só pra saber como eram. Se não usa, desinstale (para fazer isso de maneira mais eficiente, use o Revo Uninstaler). Após ter liberado os espaços no disco, poderá usar o utilitário de limpeza de disco do Windows (Iniciar > Programas > Acessórios > Ferramentas do Sistema > Limpeza de Disco) ou outro programa de sua escolha (como o CCleaner e o Revo Uninstaler) para liberar espaços utilizados desnecessariamente no HD.

[hr style=”4″ margin=”40px”]
5 – Abrir todos os anexos de E-Mail

Tem pessoas que não resiste a tentação de abrir toda que quaisquer mensagens de e-mail com links ou anexo. Mal sabem que estes podem conter vírus, spywares ou outras coisas que podem comprometer o computador bem como toda uma rede.

Dentre os anexos de e-mail mais perigosos estão aqueles que contém arquivos executáveis. São aqueles que tem como extensão exe, com, cmd, scr, pif, bas, bat, dll, inf, js, lnk, ocx, reg, sct, shs, sys, url, vb, vbe, wsf dentre outros.(conheça mais aqui sobre extensões de arquivos).

Tem também aqueles arquivos que em si só não são executáveis, tipo DOC e XLS. De um modo geral, tais formatos não apresentam riscos, mas estes podem conter macros em linguagens como Visual Basic (VBS), JavaScript (JS), Flash (JWF) e outros, e estas macros podem conter ameaças perigosas.

Pode-se pensar que arquivos de texto puro (TXT) ou de imagens (JPEG, GIF, BMP) sejam seguros. Mas estes podem acessar falhas de segurança no Windows. As extensões podem estar “maquiadas”, pois os invasores se valem do fato do Windows, por padrão, não mostrar as extensões de arquivos conhecidos. Assim, um arquivo chamado de livros.txt.exe vai aparecer num sistema de webmail e no Outlook como livros.txt, iludindo o usuário a pensar que trata-se apenas de um arquivo de texto, mas na verdade trata-se de um arquivo executável que com certeza não foi criado com boas intenções.

Como contornar essa situação? Primeiro, configure o Windows para mostrar as extensões dos arquivos (Painel de Controle > Opções de Pasta > Modo de Exibição > Configurações Avançadas > Clicar em “Ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos”, deixando a caixa de seleção vazia). Só abra anexos se estes vierem de fontes checadas e confiáveis. Verifique os anexos com o antivírus e antispyware antes de executá-los.

[hr style=”4″ margin=”40px”]
6 – Clicar em tudo o que lhe aparece

Clicar em links enviados por e-mails ou em alguns sites pode levar a sites que contém controles ActiveX embutidos em scripts que podem fazer muitas atividades maliciosas. Uma vez que o usuário permita, controles de ActiveX podem mexer à vontade com o Windows e arquivos. Para ter uma noção do poder do ActiveX, basta dizer que o WindowsUptade roda à base deste tipo de controle. O que mais tais controles podem fazer? Apagar o HD, instalar programas de espionagem ou ainda usar o seu computador para executar ataques em outros computadores.

Usuários devem resistir a mania de sair clicando em tudo o que vê. Vale uma regra aqui: Pense antes de clicar. Links perigosos podem estar disfarçados no meio das mensagens. Um link pode estar dizendo que vai para www.joaoneto.com.br mas na verdade pode estar indo para www.seferrou.com.ws. Uma dica é olhar na URL mostrada na parte debaixo da página no momento que que se passa o mouse em cima do link (mas sem clicar nele).

[hr style=”4″ margin=”40px”]
7  – Compartilhar tudo o que tem

Quando éramos crianças, nossos pais diziam-nos para dividir nossos brinquedos com as outras crianças, ensinado-nos assim a sermos generosos e coisas assim. Mas no mundo dos computadores as coisas não funcionam desse jeito. Quando um usuário está em uma rede, o compartilhamento de arquivos e impressoras está ativado expõe-se a perigos, como por exemplo, outros poderem se conectar remotamente àquele computador e acessar o sistema dentre outros. Mesmo que não esteja compartilhando nada, por padrão, o Windows contém compartilhamentos que ficam escondidos.

O que fazer então? Se não precisa compartilhar arquivos na rede, desative os compartilhamentos. Se for necessário tome medidas de proteção, como proteger o compartilhamento com permissões em nível de compartilhamento (rede) bem de arquivo (micro loca), fazendo uso dos recursos do NTFS (no Windows) ou LFS (no Linux). Coloque senhas fortes tão na conta do operador quanto na do administrador. Sobre as senhas, nada de por datas, nomes ou coisas assim. Procure por senhas longas (8 ou mais caracteres) usando letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Exemplo: O8dm%X67@a¬

[hr style=”4″ margin=”40px”]
8 – Ignorar a necessidade de ter backups

Mesmo quando colocadas em práticas as sugestões dadas até aqui ou ainda outras que talvez tenha visto por aí, algo pode acontecer com o computador, comprometendo o sistema, danificando arquivos ou apagando os dados. Isso pode acontecer por vários motivos. O disco rígido pode estragar, acidentalmente (ou não) alguém pode apagar todos os seus dados, falhas na rede elétrica bem como outras coisas.

Analisando tais fatores, vemos a importância de sempre ter um becape dos dados armazenados no computador. Lembrando que, becape é uma cópia reserva dos arquivos armazenados no disco rígido ou outro dispositivo. Faça então becape dos seus dados em Cds, DVDs, pendrives, HDs externos ou onde achar melhor. O importante é ter becapes e atualizá-los com regularidade.

[hr style=”4″ margin=”40px”]
9 – Não atualizar o Sistema operacional e demais aplicativos

A Microsoft e os demais desenvolvedores de sistemas operacionais liberam atualizações de seus produtos regularmente. Fabricantes de antivírus e antispywares também fazem isso, bem como outros fabricantes de softwares. Basta que, em períodos regulares, atualize os programas instalados na máquina.

[hr style=”4″ margin=”40px”]
10 – Acreditar que amigos e parentes são técnicos em informática

Quem está no ramo sabe como é isso. Todo mundo tem um amigo ou parente que sabe tudo de computador. Quando precisa instalar alguma coisa, quando o Windows dá pau, é só ligar pro tal conhecido, que, ao menor sinal de dificuldade já diz: “Acho melhor formatar e instalar tudo de novo”.

É bem verdade que, às vezes, o amigo ou parente realmente é conhecedor do assunto e às vezes também é melhor formatar e instalar tudo de novo. Mas na maioria dos casos, o amigo ou parente mais atrapalha do que ajuda.

Dar manutenção e suporte a redes e computadores é coisa para gente especializada e que procura entender do assunto.

[hr style=”4″ margin=”40px”]
Palavras finais

É cada vez maior o número de pessoas que dependem do computador para trabalhar e/ou estudar. Os dados das pessoas e das empresas são cada vez mais valiosos – toda controle financeiro da empresa, aquele trabalho de conclusão de curso, aquelas fotos de momentos memoráveis.

Com os computadores ligados em rede e também na Internet, as chances de ocorrerem problemas não são pequenas. E problemas acontecem mesmo, quando menos se espera, principalmente com quem não se preocupa com isso. Os cuidados apresentados aqui são básicos e deve ser do conhecimento de todos que utilizam computadores.

[testimonial author=”Danillo Leite – IT9.com.br.”]Precisando de um técnico? Entre em contato conosco da It9[/testimonial]

Teclado de notebook trocando letras por números
Blog, Notebooks, Suporte

Teclado de notebook trocando letras por números

teclado de notebook trocando letras

teclado de notebook trocando letras

Você digita uma letra e na tela aparece um número? Não se preocupe, seu notebook não quebrou: você apenas ativou o teclado numérico.

Esse é um problema bastante comum ->  de repente, você não sabe como, o teclado do seu notebook ficou “maluco”. Você digita uma letra mas em seu lugar aparecem números, “e se4s e-0a53s f5ca0 desse 1e5t6”. Não se preocupe, seu notebook não está com defeito: você apenas ativou sem perceber uma função pouco conhecida, o teclado numérico.

Teclado de notebook trocando letras por números

Os teclados de PCs “de mesa” tem um teclado numérico separado, muito útil para quem passa o dia lidando com números, mas nos notebooks geralmente não há espaço para isso. A solução encontrada pelos fabricantes foi dividir o espaço com as teclas “normais”, e usar uma tecla de função (Num Lock, ou Num LK em alguns teclados) para alternar entre os dois

Teclado de notebook trocando letras por números

Se você prestar atenção, vai ver que todas as teclas que ficaram “malucas” estão na metade direita do teclado, e provavelmente tem um número pintado em uma cor diferente nelas. Este número indica a função da tecla quando o Num Lock está ativado. Por exemplo, a tecla J é 1, O é 6, e por aí vai.

Para levar seu teclado de volta ao normal, basta desativar o teclado numérico. A combinação exata varia de modelo para modelo, mas seu teclado deve ter uma tecla escrito Num Lk em cor diferente. Segure a tecla de função (Fn) e pressione a tecla do Num Lock. No meu notebook, por exemplo, a combinação é Fn + Ins. Pronto, problema resolvido!

Função do Num Lock clique aqui

NoteBook
Blog, Notebooks, Suporte

Notebook liga inicializa mais trava ou reinicia após algum tempo de uso. Dicas de como resolver

Notebook liga inicializa mais trava ou reinicia

Notebook liga inicializa mais trava ou reinicia

Este tipo de problema pode ser ocasionado por vários motivos, aquecimento, vírus, Windows corrompido e etc… Siga estas dicas para ter uma rápida solução.

Principais causas observadas e soluções já testadas:

  1. [dropcap style=”default, circle, box, book”]V[/dropcap]erifique se as especificações de tensão e corrente da fonte de alimentação estão de acordo com as necessidades do notebook, se não estiver providencie uma fonte compatível. Obs. nunca use fonte universal.
  2. [dropcap style=”default, circle, box, book”]R[/dropcap]etire a bateria e ligue o notebook, bateria com defeito causa este sintoma. Ligue o notebook direto na energia sem a bateria.
  3. [dropcap style=”default, circle, box, book”]V[/dropcap]írus também são responsáveis por um grande número de problemas de travamento, para isso sempre mantenha a base de vírus do programa Antivírus Atualizada e faça um SCAN no seu sistema na procura de eventuais vírus. Nunca use dois antivírus simultaneamente. Verifique sempre se existem atualizações do Sistema Operacional em uso, principalmente novos drives de dispositivos.
  4. [dropcap style=”default, circle, box, book”]M[/dropcap]emórias de baixa qualidade ou mal encaixadas ou com oxidação nos contatos na minha opinião é a principal causa de travamentos e instabilidade no sistema. Para ver se sua memória está em boas condições teste com o MemTeste. Se puder, teste com outra memória RAM.
  5. [dropcap style=”default, circle, box, book”]H[/dropcap]D com Bad Blocks ou muito fragmentado podem causar este sintoma. Embora não seja muito comum de acontecer o disco rígido pode estar sendo o vilão disso tudo. Verifique os sensores de SMART do seu disco rígido e se ele estiver formatado em Fat32 use o Scan-disk com opção de verificar o disco todo em busca de setores defeituosos. Se o sistema de arquivos usado for o NTFS vá no Prompt de comando e digite CHKDSK /F/R para uma verificação completa. Se você usar o Linux use o comando e2fsck -pycvf – Se o disco tiver muitos Bad Blocks ou estiver fazendo barulhos estranhos provavelmente ele estará condenado e nesse caso é recomendável trocá-lo.
  6. [dropcap style=”default, circle, box, book”]A[/dropcap]nálise da Temperatura. Durante a execução prolongada do a temperatura vai aumentando bastante, para os Processadores no geral é bom que ela não esteja passando dos 70°C – Caso a temperatura do seu Processador esteja alta, verifique a correta instalação do cooler e do Dissipador, Sujeira, bem como o devido uso da pasta térmica boa qualidade. Para este procedimento a necessidade de bom conhecimento de desmontagem de notebooks. Para análise de temperatura via software aconselho o Everest ou Aida64.

Algumas das dicas acima precisam de um pouco de conhecimento técnico. Não tente fazer se tiver alguma dúvida.

Este é um guia básico que cobre as situações mais comuns para a maioria dos usuários. Claro que você pode implementar este guia adicionando seus próprios procedimentos. Sugestões são sempre bem-vindas.

Se com estas dicas acima o notebook não funcionar. Será necessário levar seu notebook a assistência técnica para uma análise mais adequada.

Notebook liga inicializa mais trava ou reinicia

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs
Blog, Mac, Notebooks, Suporte, Windows

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

Compartilhando arquivos e pastas

Compartilhando arquivos e pastas

Compartilhando arquivos e pastas entre notebooks com sistemas distintos é possível, desde que se faça os ajustes necessários em cada plataforma.

Eis uma situação corriqueira entre notebooks e desktops de uma mesma rede: Compartilhando arquivos e pastas. Em redes cujos computadores clientes usam o mesmo sistema operacional, isso é muito fácil: basta habilitar a opção de compartilhamento de arquivos nas preferências do sistema e só. As dificuldades surgem quando os computadores utilizam sistemas operacionais diferentes, como por exemplo, estações de trabalho usando Windows e outras Mac OS X, o sistema operacional das máquinas da Apple. Nestas situações, habilitar a opção de compartilhamento não é suficiente e outros ajustes se fazem necessários.

COMPARTILHANDO ARQUIVOS E PASTAS DE UM COMPUTADOR COM MAC.

A configuração do Mac para deixar que o Windows acesse seus arquivos é praticamente a mesma usada para trocar arquivos com outros Macs, bastando informar ao sistema operacional OS X quais pastas queremos tornar acessíveis e definir as permissões para elas.

[accordion open=”8″]
[accordion-item title=”Configurando o MAC”]

Configurando o Mac
Abra a janela de Compartilhamento, nas Preferências do Sistema, clique no ícone do cadeado
no canto inferior esquerdo e digite sua senha de administrador para desbloqueá-lo (se necessário). Em seguida, marque a opção Compartilhamento de Arquivos e clique no botão Opções. Marque a opção Compartilhar Arquivos e Pastas usando SMB (Windows).

Na lista de usuários que aparece, defina qual conta você deseja compartilhar. Digite a senha da conta na caixa de diálogo de autenticação e clique em Ok. Repita essas etapas para outras contas que pretende compartilhar e, então, clique em Concluído.

Por padrão, o Mac OS X vai compartilhar as pastas públicas de cada usuário habilitado. Para habilitar o compartilhamento de outras pastas, clique no sinal de mais (+) da lista de pastas compartilhadas e selecione a unidade de sua preferência.

Você pode definir as permissões de acesso para cada pasta compartilhada na área de Usuários. Se você for o único usuário da máquina, os privilégios de Leitura & Gravação já devem estar selecionados. Máquinas com vários usuários cadastrados em uma mesma rede pode controlar o acesso de cada um clicando no botão mais (+), em Usuários, para importar contatos do Address Book, ou cadastrar novas pessoas.

A partir de agora, as pastas configuradas para serem compartilhadas devem estar disponíveis para um PC com Windows.

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]

[accordion-item title=”Configurando o Windows XP como cliente”]

Configurando Windows XP como cliente…

Clique no menu Iniciar e vá para Meus Locais de Rede. Se o seu Mac não estiver listado na rede local, clique no ícone das pastas que aparecem na barra de ferramentas. Na coluna de pastas à esquerda, procure pelo Mac nos Meus Locais de Rede. Dê um duplo clique sobre a pasta do Mac e digite o nome de usuário e senha para a conta que você deseja acessar.

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]

[accordion-item title=”Configurando o Windows 7 como cliente”]

Configurando Windows 7 como cliente…

Clique no menu Iniciar e vá para Meu Computador (ou qualquer janela que abra o Windows Explorer). Na barra lateral, clique no triângulo ao lado da Rede para expandir as opções. O nome do Mac no do qual se deseja acessar arquivos deve estar lá. Clique sobre ele para mostrar as pastas compartilhadas.

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]
[/accordion]

COMPARTILHANDO ARQUIVOS E PASTAS DE UM COMPUTADOR COM WINDOWS.

O processo de configuração para compartilhar arquivos de um PC para um Mac varia de acordo com a versão de Windows que você utilizar.

[accordion open=”8″]
[accordion-item title=”Configurando o Windows XP”]

Configurando o Windows XP

Se a opção para compartilhamento de arquivos ainda não estiver configurada, abra o menu Iniciar e escolha Meus Locais de Rede. Clique em Configurar uma Rede Doméstica ou de Pequena Empresa, na coluna da esquerda. Quando a tela de configuração de rede aparecer, avance até chegar na janela de Compartilhamento de Arquivos e Impressoras. Clique em Ativar o Compartilhamento de Arquivos e Impressoras e depois em Avançar. O Windows irá pedir para reiniciar o computador para aplicar as alterações.

Por padrão, a pasta Documentos Compartilhados estará disponível para outros usuários da rede. Para compartilhar outras pastas, clique com o botão direito do mouse sobre a pasta desejada em qualquer janela do Windows Explorer, e selecione Propriedades. Abra a aba Compartilhar e selecione as opções desejadas.

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]

[accordion-item title=”Configurando o Windows 7″]

Configurando o Windows 7

Antes de mais nada, será necessário criar uma senha para a conta do administrador. Clique no menu Iniciar e abra o Painel de Controle. Clique em Contas de Usuário, selecione Criar uma senha para sua conta e siga as instruções.

Se você ainda não configurou o Windows 7 para o compartilhamento de arquivos, abra novamente o Painel de Controle e vá para o Central de Rede e Compartilhamento. Clique em Escolher opções do Grupo Doméstico e de Compartilhamento, e então vá para Alterar as Configurações de Compartilhamento Avançada.

Na janela seguinte, marque Ativar Descoberta de Rede, Ativar Compartilhamento de Arquivo e Impressora, Ative o Compartilhamento de Pasta Pública e Compartilhamento Protegido por Senha. Na área de Conexões de Compartilhamento de Arquivos, habilite a criptografia de 128 bits, e em Grupo Domestico, mantenha a configuração padrão. Quando terminar, clique em Salvar Alterações.

Para compartilhar pastas específicas, vá a qualquer janela do Windows Explorer e dê um clique com o botão direito do mouse sobre a pasta que deseja compartilhar. Clique em Compartilhar Com e escolha a pessoa que você deseja compartilhar. Depois, é só definir o nível de acesso permitido para o usuário.

Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]

[accordion-item title=”Configurando o MAC como cliente”]

Configurando o MAC como cliente…

Abra o Finder, clique no triângulo ao lado da pasta Compartilhados, na barra lateral. Clique na opção do PC com Windows e insira o nome de usuário e senha da sua conta de administrador. As pastas compartilhadas deverão aparecer.

Se o computador não aparecer na barra lateral do Mac, vá até o menu Ir e clique em Conectar ao Servidor. Em seguida, digite smb:// endereço_ip ou smb:// nome_do_computador (para descobrir o endereço IP ou nome do computador, procure por “Qual é o meu nome?”) Se isso não funcionar, tente adicionar a porta de número :139smb:// endereço_ip :139 no final do endereço IP ().


Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

Qual é o nome do computador com Windows? Para compartilhar arquivos de um PC para um Mac, na maioria das vezes, é preciso saber o nome do computador ou endereço IP. Veja como descobrir tanto no Windows 7 como no Windows XP:

Windows XP
Clique no menu Iniciar, vá até Painel de Controle (modo de exibição clássico), clique duas vezes em Conexões de Rede e, em seguida, clique no nome da conexão ativa. Lá você irá encontrar o endereço IP na guia Suporte. Para descobrir o nome do computador, vá ao menu Iniciar, Meu Computador, clique em Exibir informações do sistema e, logo após, abra a guia Nome do Computador.

Windows 7
Abra o Painel de Controle (exibição por categoria), clique em Exibir o status e as tarefas da rede e clique na sua conexão ativa. Na próxima caixa de diálogo, clique em Detalhes. O endereço IP será mostrado em frente à informação IPv4. Para encontrar o nome do computador, vá ao menu Iniciar e clique em Computador. O nome do computador aparece no canto inferior esquerdo da janela ao lado do ícone da máquina.

 Compartilhando arquivos e pastas entre Notebooks com Windows e Macs

[/accordion-item]
[/accordion]

 

NoteBook
Blog, Notebooks, Suporte

Notebook não inicializa e trava na tela antes de carregar o sistema ou durante o uso

notebook

Notebook

Seu notebook está travando? Trocou ou adicionou algum componente que fez ele ficar pior do que estava? Você não aguenta mais as malditas travadas e congelamentos? Você já está pensando em desistir de usar seu notebook?

Calma, para isso existe uma solução, siga esses  passos para determinar a causa do problema que está te deixando furioso.

1) Memórias de baixa qualidade ou mal encaixadas ou com oxidação nos contatos na minha opinião é a principal causa de travamentos e instabilidade no sistema. Para ver se sua memória está em boas condições teste  com o MemTeste. Se puder, teste com outra memória RAM.

NoteBook

2) Análise da Temperatura. Durante a execução prolongada do a temperatura vai aumentando bastante, para os Processadores no geral é bom que ela não esteja passando dos 70°C – Caso a temperatura do seu Processador esteja alta, verifique a correta instalação do cooler e do Dissipador, Sujeira, bem como o devido uso da pasta térmica boa qualidade. Para este procedimento a necessidade de bom conhecimento de desmontagem de notebooks. Para analise de temperatura via software aconselho o Everest ou Aida64.

3) Verifique se as especificações de tensão e corrente da fonte de alimentação estão de acordo com as necessidades do notebook , se não estiver providencie uma fonte compatível.  Obs. nunca use fonte universal.

4)  Retire a bateria e teste de novo, bateria com defeito causa este sintoma.

5)   Em que programa o problema ocorre? Verifique quando o problema ocorre, não seria o culpado um programa em especifico. Tome cuidado com programas de terceiros que você instala, principalmente os mais antigos, as vezes o problema pode estar sendo causado por aquele programinha que você instalou para tentar melhorar o desempenho mais que na verdade está tirando a estabilidade do sistema. Evite o uso de gerenciadores de memórias, tome cuidado com programas que façam alterações no registro do sistema e use sempre o Gerenciador de Tarefas para ver se existe algum processo estranho aberto, programas que atuam em modo de serviço e rodam na “sombra do sistema”.

6) Update da bios. Verifique também se você já está com a ultima versão da Bios instalada, pois as atualizações de bios resolvem muitos problemas de instabilidade. Consulte a pagina do fabricante do seu notebook para baixar e atualizar a Bios para a ultima versão.

7) HD com Bad Blocks ou muito fragmentado podem causar este sintoma. Embora não seja muito comum de acontecer o disco rígido pode estar sendo o vilão disso tudo. Verifique os sensores de SMART  do seu disco rígido e se ele estiver formatado em Fat32 use o Scan-disk com opção de verificar o disco todo em busca de setores defeituosos. Se o sistema de arquivos usado for o NTFS vá no Prompt de comando e digite CHKDSK /F/R para uma verificação completa. Se você usar o Linux use o comando e2fsck -pycvf – Se o disco tiver muitos bad-blocks ou estiver fazendo barulhos estranhos provavelmente ele estará condenado e nesse caso é recomendável trocá-lo.

8) Configurações da Rede. Embora não seja muito comum uma rede mal configurada pode trazer instabilidade, nesse caso desconecte o notebook da rede ou cheque as configurações de rede para saber se existe algum problema. Você pode também tentar ir ao “Gerenciador de Dispositivos e tentar desabilitar a(s) placa(as) de rede que estiverem instaladas.

9) Vírus também são responsáveis por um grande número de problemas de travamento, para isso sempre mantenha a base de vírus do programa Antivírus Atualizada e faça um SCAN no seu sistema na procura de eventuais vírus. Nunca use dois antivírus simultaneamente. Verifique sempre se existem atualizações do Sistema Operacional em uso, principalmente novos drives de dispositivos.

10) Se você efetuou os passos acima e ainda assim continuam os problemas, é hora de dar uma formatada no seu HD e começar tudo de novo. Formate o disco rígido apagando tudo que tem nele e faça uma nova instalação do sistema operacional. Atualize os drives dos periféricos (placa de vídeo, modem, rede, som, etc..), certifique-se sobre a procedência dos drives. Nesse ponto é bom ir com cuidado para tentar descobrir se o motivo do travamento é algum drive de dispositivo ou até mesmo um conflito de de requisição de Recursos. Também vale lembrar que não vai adiantar muito re-instalar por cima o sistema operacional, pois os problemas persistiram, importante mesmo é formatar e começar do zero.

Alguns vírus, spyware, exploits, spybots ou programas de procedência duvidosa podem comprometer a estabilidade do notebook ao alterarem valores no registro do sistema e mesmo quando são removidos o registro pode permanecer danificado. Outra coisa que esse procedimento de apagar e instalar tudo de novo resolve é o travamento causado quando se troca uma placa mãe ou uma placa de vídeo sem formatar o disco rígido e instalar o Sistema Operacional Novamente. Em último caso tente usar outro sistema operacional para ter certeza mesmo que o problema é de ordem física ou Hardware

Estas dicas são indicadas para usuários avançados ou profissionais de informática que já conheçam procedimentos básicos hardware e software de  notebooks, se não for o seu caso, leve seu notebook em uma assistência técnica de confiança.

Este é um guia básico que cobre as situações mais comuns para a maioria dos usuários. Claro que você pode implementar este guia adicionando seus próprios procedimentos . Sugestões são sempre bem-vindas.

Se com estas dicas acima o notebook não funcionar. Será necessário levar seu notebook a assistência técnica para uma analise mais adequada.

notebook nao liga tela escura bga
Blog, Notebooks, Suporte

Notebook acende Leds do painel mais não aparece imagem na tela. Não liga, só acende ou pisca as luzes

BGA

BGA

Confira aqui algumas dicas para tentar resolver este tipo de problema. O que é BGA?! Defeitos, Sintomas e Outros.

Possíveis causas observadas e soluções já testadas:

1) Verifique se as especificações de tensão e corrente da fonte de alimentação estão de acordo com as necessidades do notebook , se não estiver providencie uma fonte compatível.

2) Retire a bateria e teste de novo, bateria com defeito causa este sintoma.

3)  Se possível troque a memórias ou se tiver duas memórias tente ligar só com uma a fim de testá-las.

4) Tente resetar a Bios. Tire a bateria e a fonte de alimentação e segure o botão do power por 30 segundos. Depois tente ligar o notebook normalmente (não funciona com todos os notebooks).

5) Pode ser um problema no HD (Hard Disk) e outros periféricos podem causar este sintoma. Teste-os em outro notebook ou retire-os um a um testando em seguida para ver se tem algum periférico em curto-circuito que possa estar provocando este sintoma. Obs: Antes de retirar os periféricos um a um, desligue o notebook.

6) Este sintoma pode ser causado por falha geral na placa mãe do Notebook, esta falha pode ser proveniente de solda fria no CI BGA do controlador de vídeo da placa mãe do notebook, neste caso a placa deverá ser recuperada em laboratório de manutenção por um profissional especializado em estação infravermelho, ar quente ou outra específica para retrabalho em solda BGA

Algumas das dicas acima precisam de um pouco de conhecimento técnico. Não tente fazer se tiver alguma dúvida.

Se com estas dicas acima o notebook não funcionar, a possibilidade de seu notebook estar com problema no BGA da placa mãe é muito grande.

celeron mobile bga
BGA, o problema que afeta muitos notebook de quase todas as Marcas…

Devido a normas europeias que proíbem o comércio de produtos eletrônicos que contenham metais pesados como chumbo, mercúrio, entre outros, pois são nocivos ao meio ambiente, a indústria está se adequando e eliminando esses materiais das suas soldas e componentes, utilizando uma tecnologia de solda chamada Lead free ou Pb-free (solda livre de chumbo), para poder vender seus produtos em países com essa exigência.

A solda sem chumbo é uma solda mais rígida, pois não possui as propriedades mecânicas do chumbo (maleabilidade), que é substituído por prata ou cobre e tem seu ponto de fusão maior suportando melhor altas temperaturas, porém é uma tecnologia que está amadurecendo, por isso os problemas…

Causas do Problema

Em função da flexibilidade do aparelho, somado a tecnologia da liga de solda dos componentes, movimentos como o de abrir e fechar a tampa LCD, digitar, usar o notebook no colo, impactos no transporte, rompem a solda da trilha ou do chip BGA causando mau contato, pois a solda é rígida e não suporta elasticidade, iniciando imediatamente superaquecimento em função deste mau contato – (pois não há secção nominal suficiente para passagem dos elétrons), perdendo funções diversas, como wireless, teclado, USB, mouse, travamentos, telas azuis e finalmente não ligando mais, podendo até queimar o chip.

Neurologista Infantil

Sintomas típicos de problema no bga dos notes:

  • Notebook liga acende os leds mas não passa imagem para a tela e nem para monitor externo.
  • Dispositivo wirelles não é reconhecido no windows.
  • Teclado e touchpad não funcionam e portas usb não reconhecem nenhum dispositivo
  • Notebook demora para ligar,as vezes liga as vezes não.
  • Notebook apresenta tela azul na hora da formatação mesmo quando se substitui hd e memória
  • O notebook não tem energia e não há LEDs ativos.
  • Falha nas portas USB’s e no funcionamento da webcam.
  • O notebook não se inicializa.
  • O indicador de carga da bateria não se acende quando a bateria está instalada e o adaptador AC está conectado.
  • O notebook emite um único bipe, durante a inicialização, indicando que não há alimentação.
  • O monitor externo funciona, mas não há imagem na tela LCD do notebook.
  • O notebook emite dois ou três bips, e não emite imagem na tela LCD do notebook.
  • O notebook emite quatro bips, pisca os leds e não emite imagem na tela LCD do notebook
  • O notebook pisca os leds, e não emite imagem na tela LCD do notebook
  • O notebook liga somente um vez aparecendo imagem na tela LCD, mas após desligado não volta a dar imagem quando acionado o botão de power on.
  • A imagem fica quadriculada ou distorcida quando o notebook é ligado ou durante o processamento de Dvds ou vídeos.

A solução!

É um problema simples de resolver com as ferramentas certas, com 80% de chance de reparo.

Removemos o chip BGA, trocamos as soldas em esferas do BGA por uma liga estanho-chumbo (Sn63/Pb67), e se necessário trocamos o chip BGA por um novo, utilizando estação de solda BGA infra vermelho, que garante precisão absoluta e qualidade de fábrica nas soldas, revisamos o sistema de resfriamento, resolvendo em definitivo os problemas da placa-mãe e do notebook.

ENVIE SEU NOTEBOOK PARA UM ORÇAMENTO

GRATUITO E SEM COMPROMISSO.

Trabalhamos com manutenção e reparo em Placa Mãe de Noteboks, netbooks, laptop e All in One. Fazemos reballing do Chip Set (bga), reparo em fontes de notebooks, troca de cabos das fontes de notebooks, manutenção em todas as marcas (Acer, HP, ASUS, LG, Sony, Samsung, Itautec, Dell, Apple, Positivo, Compac, Lenovo, intelbras).

O que é BGA? Clique aqui
Forum da HP

Teamviewer - Suporte Remoto
Blog, Remoto, Suporte

TeamViewer

Teamviewer

Teamviewer

TeamviewerPara receber o suporte Online, faça o Download do Teamviewer.

Quando solicitado se instala ou inicia, fica a seu critério.
Iniciar apenas, não o instala. Forçando assim baixar o mesmo toda vez que necessitar de suporte.

Quando iniciado, passe para o IT9 o ID e senha para que possamos assim acessar seu computador.

Clique Aqui para baixar

 

 

 

 

 

 

 

 

Teamviewer - Suporte Remoto

 

O TeamViewer QuickSupport é um módulo de cliente portátil, que não precisa ser instalado e que não precisa de direitos administrativos no computador remoto – ideal para o suporte instantâneo.

 

O TeamViewer estabelece a ligação a qualquer computador ou servidor em todo o mundo em apenas alguns segundos. Você pode controlar o computador de seu parceiro à distância como se estivesse sentado à frente dele. Descubra porque mais de 100.000.000 de usuários confiam no TeamViewer!

 

O programa é excelente para qualquer pessoa que precise prover ou receber suporte imediato, sem precisar instalar nada. Um técnico pode, por exemplo, apenas enviar o atalho para seu cliente, que em minutos estará disponível para receber suporte, sem se complicar com procedimentos de instalação, coisa e tal. Ótimo, não?

 

Para usar, basta abrir e informar a ID e a SENHA, para quem irá acessar e controlar o seu computador. As mesmas são geradas automaticamente.